Teresina - PI

Edson Melo diz que não há problema em carreata durante pandemia

“Não vejo nenhum problema no tocante as recomendações de segurança para evitar a proliferação do covid-19”, disse o vereador.

Germana Chaves
Teresina
- atualizado

O vereador e presidente do Diretório do PSDB de Teresina, Edson Melo, respondeu as declarações do coordenador da campanha do candidato Dr. Pessoa (MDB), o ex-ministro João Henrique de Almeida Sousa, (MDB) que criticou, devido a pandemia do novo coronavírus (covid-19), a carreata que será realizada neste domingo (27) pelo Palácio da Cidade para inaugurar a campanha do candidato tucano, professor Kleber Montezuma (PSDB).

De acordo com Edson, todas as recomendações sanitárias serão atendidas para evitar que seja criado um ambiente de proliferação do vírus. “Não vejo nenhum problema no tocante as recomendações de segurança para evitar a proliferação da covid-19”, disse o vereador.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Edson MeloEdson Melo

Edson Melo ainda demonstrou entusiasmo e afirmou que a carreata será o ponta pé inicial de uma caminhada vitoriosa da disputa pelo executivo municipal. “Essa carreata será o ponta pé inicial de mais uma campanha vitoriosa do PSDB em Teresina”, finalizou o parlamentar tucano.

O evento que será realizado pela Prefeitura de Teresina na região do Grande Dirceu, zona sudeste da Capital, a partir das 8h.

Entenda

Na avaliação de João Henrique, realizar uma carreata neste momento é um “ato agressivo numa pandemia”. “Estão organizando para fazer um evento inaugural da campanha já como candidatos e me surpreendeu, pois vi que a campanha do Palácio da Cidade anuncia que vai inaugurar a campanha com uma grande carreata. Nós, da campanha do Dr. Pessoa, chegamos à conclusão de que uma carreata chega a ser um ato agressivo no momento de pandemia. Ouvimos até agora a prefeitura orientando que as pessoas fiquem em casa, tanto que foi abrindo muito levemente o funcionamento das atividades. Neste instante, quando você busca uma carreata, você busca uma aglomeração de gente”, criticou o coordenador.

Mais conteúdo sobre: