Parnaíba - PI

Fábio Abreu afasta delegado regional de Parnaíba Eduardo Ferreira

A decisão foi tomada pelo secretário de segurança nesta quinta-feira (06). O delegado já se encontrava afastado do cargo, pois está de férias.

Laura Moura
Teresina
- atualizado

O secretário de segurança pública do Estado, Fábio Abreu, decidiu, nesta quinta-feira (06), afastar temporariamente o delegado regional do município de Parnaíba do cargo. Eduardo Ferreira está sendo investigado pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) por suspeita de ter vazado informações para o empresário Luís Nunes Neto, marido da delegada Cassandra Moraes, que havia um mandado de prisão contra ele.

Fábio Abreu explicou que somente após a conclusão do inquérito e, consequentemente, a constatação do envolvimento do delegado é que será decidido o afastamento definitivo ou não. “Ele foi afastado temporariamente, até o final de conclusão desse inquérito. Isso é para que ele fique isento de qualquer informação já que ele é delegado regional. Ele está afastado temporariamente enquanto durar a investigação. Quando ela for concluída pelo Ministério Público é que a gente vai decidir o afastamento definitivo, se ele tiver culpa, ou não, e então ele retorna para o cargo de delegado regional”, comentou.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Fábio AbreuFábio Abreu

O delegado Eduardo Ferreira já se encontrava afastado do cargo por estar de férias. O secretário ainda pontuou que não recebeu nenhum comunicado oficial por parte do Ministério Público do Estado informando sobre as investigações a respeito da participação do delegado.

“Oficialmente, por parte do delegado, nós ainda não temos a confirmação do Ministério Público. Mas, como houve uma grande repercussão na imprensa e parar preservar o sistema, nós tomamos essa decisão”, argumentou.

  • Foto: Brunno Suênio/GP1Delegado Eduardo Ferreira, candidato a dep. federalDelegado Eduardo Ferreira

Operação Terra Nullius

A “Operação Terra Nullius” foi deflagrada no dia 28 de maio pelo Gaeco e investiga uma organização criminosa que estaria tomando terras de posseiros e depois conseguia legalizar os terrenos e, em seguida, realizava a venda. Essas terras seriam da União e teriam sido apossadas pelos criminosos, principalmente algumas localizadas próximo ao mar. O grupo teria a ajuda de policiais que expulsavam os moradores das terras.

Um dos alvos da operação é o empresário Luiz Nunes Neto, casado com a delegada Cassandra Moraes Souza, filha do prefeito de Parnaíba Mão Santa. No dia da ação, um empresário e um servidor da Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) foram presos.

No dia 29 de maio o empresário conseguiu um Habeas Corpus, porque o desembargador Erivan Lopes entendeu que ele não precisava ficar preso apenas porque poderia ter acesso a pessoas e a informações em relação aos crimes que estão sob investigação do Gaeco.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Gaeco realiza diligências em Parnaíba na Operação Terra Nullius

Greco e Gaeco cumprem mandado no apartamento do empresário Luis Neto

Genro do prefeito Mão Santa é alvo de operação do Gaeco