Teresina - PI

Fábio Abreu define com Wellington amanhã se volta para Segurança

“O fato é que eu vou trabalhar pela segurança onde eu estiver, mas, avalio que estando a frente da secretaria teríamos uma efetivação maior das ações que a gente já vem desenvolvendo lá", disse Abreu.

Germana Chaves
Teresina
- atualizado

O deputado federal Fábio Abreu (PR) vai discutir, durante reunião com Wellington Dias (PT) nesta sexta-feira (09), se volta ou não para a Secretaria de Segurança do Piauí no ano que vem. Ao GP1, o parlamentar disse que continuar no comando da área oportunizaria ao Estado uma efetivação maior das ações aplicadas por ele como gestor da Segurança Pública do Estado.

Abreu lembrou que o Piauí apresentou índices melhores durante sua administração e acrescentou que no próximo ano a tendência é que haja uma diminuição dos recursos frente a crise que o País atravessa. Para ele, esse possível cenário requer um gestor experiente para driblar as adversidades.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Fábio AbreuFábio Abreu

“O fato é que eu vou trabalhar pela segurança onde eu estiver, mas, avalio que estando a frente da secretaria teríamos uma efetivação maior das ações que a gente já vem desenvolvendo lá. Nós temos um levantamento antes, durante e depois da nossa gestão na secretaria e vemos uma evolução grande. Porém, quem vai decidir é o governador”, disse o deputado. “Além do mais, há uma perspectiva de menos recursos diante desse momento conturbado. É preciso ter muita habilidade para atravessar os contratempos”.

Fábio também adiantou que a pedido do governador vai levar sugestões de estratégias para melhorar a Segurança do Estado. “Ele pediu para que levasse a ele algumas ideias e sugestões para a área. Isso também será analisado em nosso encontro de amanhã”, disse o deputado federal.

A participação do PR no Governo também será outro tema debatido com Wellington Dias durante o encontro entre eles.

Saída

Fábio Abreu se afastou da secretaria este ano para disputar a reeleição à Câmara Federal. Hoje a pasta é ocupada pelo coronel Rubens Pereira, que foi indicado por Abreu.

Mais conteúdo sobre: