Eleições 2018

Gessivaldo admite romper com Wellington Dias se não houver chapão

Apesar de não ser uma imposição, Gessivaldo avalia abandonar o barco caso não seja formado um chapão para a disputa proporcional.

Germana Chaves
Teresina
Andressa Martins
Teresina
- atualizado

A proposta do PT de fazer chapa pura para deputado estadual poderá provocar rompimento na base do governador Wellington Dias (PT). Nesta terça-feira (12), durante entrevista ao GP1, o deputado estadual pastor Gessivaldo Isaías, que preside o PRB no Piauí, não descartou a hipótese de deixar o Governo, caso o chapão, com todos os aliados, não seja viabilizado.

Gessivaldo esclareceu que a coligação ampla é uma condição de “sobrevivência partidária” para a maioria das legendas que dá sustentação ao Palácio de Karnak. O republicano disse que o governador é uma espécie de maestro, que irá decidir a composição da chapa da situação. Isaías ressaltou ainda que Wellington terá que se definir entre a vontade do seu próprio partido e a necessidade dos aliados.

“Nós temos um maestro [Wellington Dias] que constrói essa chapa e estamos aqui embaixo ouvindo a música tocar. Não podemos desafinar, mas se de repente, o maestro der uma situação com que o nosso estadual e nosso federal possa não ser eleito, vamos ter que buscar outro abrigo para elegê-los”, avisou Gessivaldo.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Gessivaldo IsaíasGessivaldo Isaías

“O PRB não vai caminhar sozinho em uma chapa proporcional. O PRB não vai estar sozinho com o MDB em uma chapa proporcional. O PRB não vai estar sozinho com o PP em uma chapa proporcional. Então o PRB precisa de uma chapa competitiva a nível de federal e estadual para que ele fique [na base], porque eu tenho que defender o interesse do partido”, disse o republicano.

Mesmo com as ponderações feitas, Gessivaldo Isaías deixou claro que não pretende deixar a base do Governo. “Continuo dizendo que em momento algum eu e o Silas pensamos em sair da base, mas como estou falando, a construção dessa chapa depende do governador do estado”, frisou o republicano.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Frank AguiarFrank Aguiar

Frank Aguiar

O pastor revelou ainda que já está de posse de uma pesquisa interna encomenda pelo PRB para analisar os cenários com a presença do cantor Frank Aguiar na disputa para o Senado Federal. Com os dados em mãos, Gessivaldo confirmou que já solicitou reunião com o governador para tratar sobre os interesses do partido.

“Nessa reunião nós queremos tratar de política. Não é só o deputado Gessivaldo, vamos tratar do PRB. Sempre confirmo que nós temos candidatos a deputados estaduais, candidatos a deputados federais, tem o Frank com bom nome para o Senado Federal”, afirmou.

O pastor ainda falou sobre o encontro de Frank Aguiar com o senador Elmano Férrer (Podemos), pré-candidato ao governo do estado. “Tiveram conversações do Elmano com o Frank Aguiar? Tiveram. É notória, a imprensa sabe disso. Ele foi sem permissão do partido? Não. Ele foi, comunicou ao partido que iria ter as conversações, mas também não definiu nada. Ele não definiu que o partido ia marchar com o governador Elmano”, afirmou.

“Como também eu aqui chego, converso com o Luciano Nunes, que é um pré-candidato a governador do estado, mas também não se foi definido nada. Acho que esse momento é um momento de conversações, momento de diálogo, até porque o nosso estado está em formação de chapas majoritárias, proporcionais e nós temos um olhar um pouco dinâmico para essa composição”, concluiu o pastor.


NOTÍCIAS RELACIONADAS


Governador Wellington Dias admite várias chapas proporcionais

Francisco Limma diz que PT já tem uma definição sobre chapa pura

PT está irredutível e reafirma tese de chapa pura proporcional

Fábio Novo contra-ataca aliados e diz que PT não vai compor chapão

Aliados pressionam Wellington Dias e exigem formação de chapão

MAIS NA WEB