Teresina - PI

Homem que matou irmão queimado é condenado a 17 anos de prisão em Teresina

Os jurados reconheceram as qualificadoras do uso de fogo para realizar o crime, o que impossibilitou a defesa das vítimas. O suspeito morava na residência de seu irmão, no bairro Piçarra.

Davi Fernandes
Teresina
- atualizado

José Fernando Pereira Gonzaga foi condenado nesta sexta-feira (8) a 17 anos de prisão por assassinar seu irmão, Luís Pereira Gonzaga e sua cunhada, Carla Pereira de Abreu queimados no dia 30 de junho do ano passado. A decisão foi dada pelo juiz Robledo Moraes Peres de Almeida, da 2° Vara do Tribunal Popular do Júri da Comarca de Teresina.

O julgamento teve início na manhã desta sexta, no Fórum Criminal de Teresina. Foram ouvidas cinco testemunhas, entre elas a mãe de uma das vítimas, Rita de Cássia de Abreu Alcântara. No interrogatório, o acusado confessou o crime e alegou que matou seu irmão porque ele o agredia fisicamente e verbalmente.

Os jurados reconheceram as qualificadoras do uso do fogo para realizar o crime, o que impossibilitou a defesa das vítimas. O suspeito morava na residência de seu irmão, no bairro Piçarra, na zona sul de Teresina.

  • Foto: Brunno Suênio/GP12° Vara do Tribunal Popular do Júri da Comarca de Teresina2° Vara do Tribunal Popular do Júri da Comarca de Teresina

O júri reconheceu também a causa de diminuição de pena de que o réu é semi-imputável, pois o laudo psiquiátrico do Hospital Areolino de Abreu constatou que o acusado é esquizofrênico e no dia dos fatos não era inteiramente incapaz de entender o caráter ilícito do fato.

"Ele vai estar vivo, a minha filha não está mais"

A mãe de Carla Pereira, Rita de Cássia, relatou aos prantos para o GP1 a dor que ainda sente em função da morte da filha. “Muito difícil! Muito difícil, porque ficar doze dias sem fazer nada, sabendo que minha filha ia falecer e poder ficar suportando aquela situação, não é fácil para mãe nenhuma”, falou chorando durante a entrevista.

A mãe alega que está passando por problemas psicológicos desde então e que está suportando com muita dor a perda da filha. “Agora eu sou uma mãe com problema psicológico para o resto da vida. Se não fosse Deus no meu coração, não sei o que seria de mim. E eu não desejo para mãe nenhuma, nem para o meu próprio inimigo, que passe por uma situação dessas. Ele tem que pegar a pena máxima, toda pena que ele pegar vai ser pouco. Ele vai estar vivo, a minha filha não está mais”, finalizou.

  • Foto: Brunno Suênio/ GP1Rita de Cássia, mãe de Carla PereiraRita de Cássia, mãe de Carla Pereira

Relembre o caso

Um portador de transtorno mental ateou fogo no irmão e na cunhada dentro de casa nas primeiras horas do dia 30 de junho deste ano, no bairro Piçarra, zona sul da Capital. As vítimas foram identificadas como Luiz Pereira e Carla. Eles foram encaminhados para o Hospital de Urgência de Teresina (HUT), mas não resistiram aos ferimentos e vieram a óbito.

As duas vítimas estavam dormindo no quarto, quando o acusado jogou querosene nos dois e ateou fogo neles. Depois disso, trancou a porta de ferro do quarto com um cadeado pelo lado de fora e saiu da residência.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Homem ateia fogo no irmão e na cunhada no bairro Piçarra

Julgamento de acusado de matar irmão queimado acontece hoje em Teresina

"Ele vai estar vivo, a minha filha não está mais", diz mãe de Carla Abreu