Mundo

Ilha do Caribe quer destituir rainha Elizabeth do posto de chefe de Estado

Com pouco mais de 285 mil habitantes, Barbados foi colônia britânica até 1966, quando conquistou sua independência; Palácio de Buckingham comunicou que decisão é do povo do país caribenho.

Por  Estadão Conteúdo

Ilha caribenha com pouco mais de 285 mil habitantes, Barbados quer destituir a rainha Elizabeth II do cargo de chefe de Estado e se tornar uma República. Ex-colônia britânica na América Central, o país conquistou a independência em 1966, mas ainda mantém um vínculo formal com a família real, em modelo similar ao adotado por outros países que foram parte do Império britânico.

"Chegou a hora de deixar totalmente para trás nosso passado colonial", disse a governadora-geral de Barbados, Sandra Mason, ao fazer um discurso em nome da primeira-ministra do país, Mia Mottley.

"Os barbadenses querem um Chefe de Estado barbadense. Esta é a declaração final de confiança em quem somos e no que somos capaz de alcançar. Conseqüentemente, Barbados dará o próximo passo lógico em direção à soberania plena e se tornará uma República no momento em que celebrarmos nosso 55º aniversário de independência", completou.

O aniversário citado por Mason acontece em novembro do próximo ano, o que significa que o processo de rompimento com a monarquia britânica teria um curto espaço de tempo para ser consolidado.

O Palácio de Buckingham se pronunciou diplomaticamente sobre a proposta, afirmando que o assunto é uma questão do povo de Barbados. No mesmo sentido, o Ministério das Relações Exteriores do Reino Unido afirmou que a decisão caberia ao país caribenho.

"Barbados e o Reino Unido estão unidos em nossa história, cultura, idioma compartilhados e muito mais. Temos uma parceria duradoura e continuaremos a trabalhar com eles, juntamente com todos os nossos valiosos parceiros caribenhos ", disse uma porta-voz do ministério.

Em termos práticos, a rainha Elizabeth desempenha um papel de menor importância na política de Barbados. É responsabilidade da rainha nomear o governador-geral do país, que a representa em eventos formais, como a abertura do Parlamento - ocasião em que Mason fez o discurso na terça-feira, 15.

Relação Reino Unido-Barbados

A ilha de Barbados foi reivindicada para a Inglaterra em 1625, quando o capitão Henry Powell desembarcou lá. Ao contrário de outras ilhas do Caribe que foram palco de disputas entre potências europeias como Espanha, Holanda e França, os britânicos conseguiram estabelecer o domínio da colônia sem maiores problemas.

O tráfico de escravos para trabalhar nas plantações de açúcar moldou a demografia da ilha, que até hoje tem a maior parte da população composta por descendentes de africanos.

Algumas ligações culturais com a Grã-Bretanha permanecem: as cidades têm nomes como Hastings e ruas como Liverpool Lane. Entre os esportes, o críquete é muito popular, assim como no país europeu. Atualmente, o Reino Unido é lar de uma grande comunidade de descendentes de cidadãos de Barbados.

Mais conteúdo sobre: