Teresina - PI

Juiz arquiva inquérito contra coautores de homicídio no Torquato Neto

A vítima, acompanhada de sua irmã em uma motocicleta, foi perseguida por três homens em um carro e em seguida alvejada a tiros.

Davi Fernandes
Teresina
Brunno Suênio
Teresina
- atualizado

O juiz Jorge Cley Martins Vieira, da Central Inquéritos da Comarca de Teresina determinou o arquivamento do inquérito que investigava dois suspeitos de serem coautores no assassinato de Ronaldo Ribeiro Cardoso, morto a tiros enquanto estava com sua irmã no Residencial Torquato Neto, na zona sul de Teresina, no dia 20 de outubro. A decisão foi dada no último dia 14 de fevereiro.

Nos autos, o magistrado destacou que nenhuma fonte de prova conseguiu ajudar a elucidar o caso e identificar os suspeitos do crime. “O Ministério Público, como titular da Ação Penal, deverá, mediante juízo seu, avaliar se o caso é de se ofertar, ou não, a ação penal, possibilidade prevista na Constituição da República. Caso isso não ocorra, a alternativa será o pedido de arquivamento do inquérito policial ou das peças de informação”, apontou.

Ainda conforme os autos, o juiz ressaltou sobre a gravidade do crime, porém, não existem elementos para a ação penal.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Local onde a vítima foi mortaLocal onde a vítima foi morta

Em entrevista ao GP1, o delegado Danúbio Dias, responsável pelo caso, afirmou que o autor material do crime foi devidamente identificado e submetido às medidas a ele impostas através do Estatuto da Criança e do Adolescente, pois o acusado trata-se de um menor infrator W. L de A. R. de 16 anos, que também foi condenado ao cumprimento de medida socioeducativa no Centro Educacional Masculino (CEM) por 3 anos, em razão do latrocínio do estudante de medicina da Universidade Federal do Piauí, Rayron Holanda, ocorrido no último dia 25 de novembro de 2018, na Avenida Miguel Rosa, zona sul de Teresina.

“Na realidade o crime teve as participações de pelo menos três pessoas, o executor material, possivelmente o motorista que conduzia o veículo e um terceiro que abordou a vítima. O primeiro indivíduo foi identificado, a arma do crime foi apreendida e ele confessou o homicídio, alegando que havia assassinado a vítima em decorrência de uma suposição que a vítima teria participação na morte de um amigo dele. Ele é adolescente, o mesmo que assassinou o estudante de medicina e se utilizou da mesma arma para os dois crimes. A investigação com relação ao adolescente foi encerrada e a investigação prosseguiu no DHPP para tentar identificar os demais envolvidos. Foi então que a investigação não obteve êxito. Como se trata de adolescente infrator, a competência não é da vara do júri. Então, houve uma separação da investigação, um procedimento na vara da infância e outra dos coautores permaneceu no DHPP ”, explicou.

Entenda o caso

Um jovem de 21 anos, identificado como Ronaldo Ribeiro dos Santos, foi morto com pelo menos dois tiros na cabeça no residencial Torquato Neto, zona sul de Teresina.

Segundo informações do subtenente Batista, do 17º Batalhão da Polícia Militar do Piauí, a vítima foi perseguida por três homens em um carro: “Eles vinham perseguindo ele desde o Portal da Alegria e conseguiram alvejá-lo nesse local. Eram três homens em um corsa preto”, relatou.

Ainda de acordo com o policial, Ronaldo estava acompanhado de uma irmã: “Ele veio com uma irmã dele pegar uns talões em um apartamento deles, no Portal da Alegria, quando foi perseguido pelos três elementos. Ele tentou se abrigar, mas os três desceram do carro e alvejaram ele com pelo menos dois tiros na cabeça com um revólver .40”.

NOTÍCIA RELACIONADA

Jovem é perseguido e executado no Torquato Neto em Teresina