Corrente - PI

Juíza Mara Rúbia é acusada de chamar advogado de "moleque e vagabundo"

A ação foi ajuizada nessa segunda-feira (30) e distribuída a 2ª Câmara Especializada Criminal. A desembargadora Eulália Maria Pinheiro foi sorteada e vai relatar o feito.

Gil Sobreira
Teresina
- atualizado

A juíza Mara Rúbia Costa Soares, do Juizado Especial Cível e Criminal da Comarca de Corrente/PI, é alvo de queixa-crime no Tribunal de Justiça do Piauí, acusada de ter difamado e injuriado o advogado Francisco Wellington Silva Lopes, auxiliar da Justiça na função de Conciliador.

Narra à queixa-crime que, no dia 26 de setembro deste ano, o autor desempenhava suas funções de Conciliador nas dependências do Juizado Especial Cível e Criminal quando escutou a juíza, na sala ao lado em que trabalhava, o chamando de moleque.

Ao se dirigir ao gabinete da magistrada para perguntar o porquê de estar sendo chamado dessa forma, narra que a juíza completamente descontrolada, começou a tecer uma série de ofensas contra sua pessoa, confirmando o que havia falado, ou seja, que o tinha chamado de moleque e, ainda acrescentou mais uma outra palavra de baixo calão como ofensa: vagabundo.

A conversa ambiental foi gravada e juntada ao Processo Judicial fazendo prova das ofensas.

A celeuma teve início, conforme narra a queixa-crime, após o chefe de gabinete da juíza, Kênio Seraine Ferraz, interromper uma audiência “atrapalhando o bom andamento do feito”, com uma conversa paralela com o preposto que representava uma empresa num processo. Foi neste momento que, o conciliador, disse para que o chefe de gabinete esperasse a audiência terminar, pois a conversa estava atrapalhando.

O conciliador pede a condenação da juíza Mara Rúbia nas penas dos artigos 139 (difamação) e 140 (injúria) do Código Penal e que seja fixada indenização por danos morais no valor de R$ 10.000,00 (dez mil reais).

A ação foi ajuizada nessa segunda-feira (30) e distribuída a 2ª Câmara Especializada Criminal. A desembargadora Eulália Maria Pinheiro foi sorteada e vai relatar o feito.

Outro lado

Procurada, na tarde desta terça-feira (01), a juíza Mara Rúbia informou que ainda não foi notificada, mas que vai responder às acusações oportunamente.