Política

Maia volta a defender redução de salários dos três Poderes

'Todos têm estabilidade. Sem oportunismo, os três Poderes devem avaliar como vai avançar na crise e tomar essa decisão'.

Por  Estadão Conteúdo

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), voltou a admitir a possibilidade de reduzir salários dos três Poderes para destinar mais recursos ao combate à crise da covid-19. “Todos têm estabilidade. É importante saber que tem milhões de brasileiros com medo de perder seus empregos. Sem oportunismo, os três Poderes devem, nos próximos dias ou na próxima semana, avaliar como vai avançar na crise e tomar essa decisão”, disse.

Segundo Maia, a esfera federal paga por ano aos três Poderes cerca de R$ 200 bilhões. “Têm salários mais baixos, têm salários mais altos, acima da média dos 10% que ganham mais no Brasil. Então eu acho que a gente consegue uma economia, se você olhar uns R$ 18 bilhões por mês, se você tirar 15% a 20%, vai ter uma economia de três meses que ajuda. É claro que o volume do problema é muito maior que esse”, disse. Ele ressaltou ainda que não é apenas uma questão de valor, mas também de simbolismo.

“É um gesto que todos nós precisamos fazer. Claro, excluindo os servidores que ganham menos, excluindo os servidores que estão diretamente no enfrentamento do coronavírus. Aqueles que estão trabalhando de forma remota, que podem dar uma colaboração, é que é importante”, afirmou.

Para o deputado, não há caminho nos próximos meses que não seja colocar recursos do governo para garantir estabilidade. “Temos de trabalhar semana por semana, ainda não sabemos o impacto do vírus”, disse.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Maia defende redução de salário nos três Poderes para ajudar economia

Maia chama medida provisória da suspensão do emprego de 'capenga'