Barras - PI

Prefeito de Barras Carlos Monte diz que sua gestão é transparente

Segundo o prefeito, os mesmos fatos apresentados pelo Ministério Público Estadual já foram apurados pelo Ministério Público Federal, no Procedimento Preparatório, que foi arquivado.

Wanessa Gommes
Teresina

O prefeito de Barras, Carlos Monte, através da assessoria de comunicação da Prefeitura Municipal de Barras, enviou direito de resposta acerca de matéria publicada, nesta quarta-feira (30), intitulada “Cumprida ordem judicial que mandou bloquear bens do prefeito Carlos Monte”.

Segundo o prefeito, os mesmos fatos apresentados pelo Ministério Público Estadual já foram apurados pelo Ministério Público Federal, no Procedimento Preparatório nº 1.27.000.000482/2018-36 e que após a prestação das informações requisitadas, foi demonstrada a lisura e absoluto respeito pela coisa pública, tendo sido o PP arquivado pelo órgão ministerial federal.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Carlos Monte Prefeito de BarrasCarlos Monte Prefeito de Barras

“Restou comprovada a necessidade de, logo no início do mandato, ser decretado estado de emergência municipal em virtude do caos administrativo e financeiro em que se encontrava a municipalidade por conta de inúmeras irregularidades acumuladas ao longo das gestões antecessoras”, destacou o prefeito na nota.

Confira abaixo a nota na íntegra:

Em virtude da publicação de matéria intitulada “Cumprida ordem judicial que mandou bloquear bens do prefeito Carlos Monte” por este portal GP1 nesta quarta-feira (30), a Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal de Barras vem esclarecer que:

Os mesmos fatos apresentados pelo Ministério Público Estadual já foram apurados pelo Ministério Público Federal, no Procedimento Preparatório nº 1.27.000.000482/2018-36, por se tratar de matéria de competência federal. Após a prestação das informações requisitadas, foi demonstrada a lisura e absoluto respeito pela coisa pública, tendo sido o PP arquivado pelo órgão ministerial federal por entender que os atos denunciados se deram dentro da legalidade e objetivando a melhor prestação de serviço público à população barrense.

Restou comprovada a necessidade de, logo no início do mandato, ser decretado estado de emergência municipal em virtude do caos administrativo e financeiro em que se encontrava a municipalidade por conta de inúmeras irregularidades acumuladas ao longo das gestões antecessoras.

Como forma de assegurar o acesso da população ao serviço de saúde, que é essencial e não pode ter descontinuidade, decidiu-se por manter todos os contratos com as clínicas que prestavam serviço ao município desde a gestão anterior, até a realização de chamada pública. Fato que ocorreu no prazo de 180 dias, atendendo a todos os ditames legais.

Por fim, reafirmamos o compromisso da gestão Carlos Monte com a transparência e a probidade, comprovado pela realização de auditoria técnica e adoção de medidas que objetivam reparar os danos causados em gestões anteriores ao Município de Barras, como proposição de ações judiciais e encaminhamento dos achados aos órgãos de controle como Tribunal de Contas do Estado do Piauí, Ministério Público Federal e Ministério Público Estadual.

Atenciosamente,
Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal de Barras