Teresina - PI

Processo sobre a morte de Leandro César chega à fase de alegações

Na manhã de hoje foi realizada audiência de instrução e julgamento de Maurilio Rodrigues, apontado como o responsável por planejar o assalto, que resultou na morte do empresário.

Brunno Suênio
Teresina
- atualizado

O juiz Jonnes Eduardo da Silva, da 8ª Vara Criminal de Teresina, ouviu na manhã desta terça-feira (12) as testemunhas de defesa e acusação durante audiência de instrução e julgamento de Maurilio Rodrigues de Araújo Lima Filho, apontado como o responsável por planejar o assalto, que resultou na morte do empresário Leandro César Sousa Gonçalves, no dia 20 de fevereiro de 2017, no Lourival Parente, zona sul de Teresina.

O réu compareceu à audiência, que contou ainda com a presença da promotoria. A partir de agora, a acusação e defesa terão prazo de 05 dias para apresentar as alegações finais e, então, o juiz definirá se Maurilio Rodrigues de Araújo Lima Filho vai a Júri Popular pela morte do proprietário do depósito LM Bebidas e Gás.

  • Foto: Facebook/ Leandro SousaLeandro César SousaLeandro César Sousa

Crime

O proprietário do depósito LM Bebidas e Gás, Leandro César Sousa Gonçalves, foi assassinado a tiros após reagir a uma tentativa de assalto no dia 20 de fevereiro de 2017, no bairro Lourival Parente.

O delegado Anchieta informou que a vítima vinha da cidade de Demerval Lobão, com uma quantia no valor de R$ 21.840,40 dentro de seu veículo, um Cobalt prata, que não foi levado pelos bandidos. Ele saiu da BR 316, entrou na Rua 4 e em um determinado momento foi abordado por dois indivíduos em uma moto XTZ.

Leandro reagiu jogando o carro contra a moto e um dos bandidos caiu. O outro criminoso atirou contra o empresário. Ele foi atingido duas vezes na cabeça. Nesse momento, um carro que estava próximo ao local dando cobertura a dupla surgiu, e o criminoso acidentado foi resgatado e levado ao Hospital de Urgência de Teresina (HUT). O outro bandido também fugiu no veículo, deixando a motocicleta no local do crime.

  • Foto: Divulgação/SSP-PIAcusado de planejar latrocínioAcusado de planejar latrocínio

Leandro era filho da diretora do Hospital do Monte Castelo, Fátima Sousa. Ele deixou duas filhas, sendo uma criança e outra adolescente.

Inicialmente cinco pessoas foram denunciadas pela morte do empresário: Francisco das Chagas de Oliveira Filho (Tanquinho), Sanatiel Abreu Rocha (Pequeno), André Vieira da Silva (Loirinho), Jonnes Eduardo da Silva (John John), Yasmin Abreu Rocha e Caio. Desses, apenas Francisco foi condenado, ele pegou 30 anos de prisão, em regime fechado. A sentença foi dada em fevereiro de 2018.

Duas foram absolvidas, André Vieira da Silva - vulgo “Loirinho” e Jonnes Eduardo da Silva – conhecido como “John John”. Sanatiel Abreu Rocha - vulgo “Pequeno”, apontado como autor dos disparos que mataram o empresário e sua irmã Yasmin Abreu Rocha, tiveram decretados, contra si, a suspensão do processo com a consequente suspensão do prazo prescricional.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Juiz nega liberdade a acusado de planejar assalto contra Leandro César

Polícia Civil apresenta acusado de matar empresário Leandro César

Mais conteúdo sobre: