Ciência e Tecnologia

Samsung promete lançar celular dobrável Galaxy Fold em setembro

O produto será lançado nos Estados Unidos e na Coreia do Sul em setembro.

Por  Estadão Conteúdo

O celular de tela dobrável finalmente vai chegar às lojas: a sul-coreana Samsung anunciou nesta quinta-feira, 25, que resolveu as falhas do Galaxy Fold. Com isso, o produto será lançado nos Estados Unidos e na Coreia do Sul em setembro, afirmou a empresa. O produto, anunciado em fevereiro, deveria ter sido lançado em abril, mas teve sua estreia adiada depois que apresentou defeitosem suas telas, durante testes com jornalistas e influenciadores.

Em uma nota, a Samsung disse que fez melhorias ao smartphone, que vai custar US$ 1.980 no mercado americano, e está conduzindo os testes finais. Entre as mudanças, estão dobras mais fortes, um dos problemas levantados por usuários que fizeram testes iniciais.

A expectativa da empresa agora é que o celular ajude-a a faturar no final do ano, depois de ter baixas vendas durante o primeiro semestre. Se for mesmo lançado em setembro, o Galaxy Fold entrará em rota de colisão direta com o iPhone, da Apple, que costuma chegar ao mercado no mesmo mês – segundo rumores, os novos modelos da empresa de Tim Cook terão câmeras de três lentes.

Para analistas, apesar dos novos testes, a imagem dos celulares dobráveis já está deteriorada. "A confiança do consumidor nesse produto foi abalada. Se a Samsung vender 300 mil dispositivos assim, será uma boa performance, dado o atraso", disse Kim Young-woo, analista da SK Securities. A empresa informou que tem planos de fabricar ao menos 1 milhão de unidades do Fold este ano. Anualmente, a Samsung tem fabricado cerca de 300 milhões de celulares por ano.

A empresa não deve estar sozinha: a Huawei, atualmente envolvida em dilemas contra o governo americano, também pode lançar em breve o Mate X, seu celular dobrável. Previsto inicialmente para junho, o aparelho teve lançamento adiado depois que o Google retirou suporte ao Android da fabricante chinesa. Nessa semana, o presidente da Huawei, Richard Wu, foi visto em um aeroporto usando o dispositivo – o executivo, porém, não quis falar sobre o assunto.