Política

"Tudo tem um limite", diz Júlio Arcoverde sobre discussão de cargos

Arcoverde ainda ironizou a situação, afirmando que “se a gente não conseguir indicar nenhum técnico do partido, ele [o governador Wellington Dias] indica o dele lá”.

Bárbara Rodrigues
Teresina
Germana Chaves
Teresina

A decisão do governador Wellington Dias (PT) de mudar os critérios para escolha de diretores dos hospitais regionais do Estado está causando uma grande insatisfação entre os aliados que acreditam que o PT vai ser o principal beneficiado. Júlio Arcoverde (PP) afirmou que os partidos possuem nomes técnicos e sobre a situação disse que “tudo tem um limite”.

O critério para indicação da direção dos hospitais seria feita pela quantidade de votos e pela fidelidade ao governador. Por exemplo, um município que possui um hospital de responsabilidade do governo, o deputado mais votado naquele município, que votou em Wellington, terá o direito a indicar a direção do hospital.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Júlio ArcoverdeJúlio Arcoverde

Só que o governador teria mudado os critérios e estaria focando na indicação de nomes técnicos. Júlio Arcoverde deixou claro que todas as legendas, não só o PT, possuem nome técnicos capazes de ocuparem os cargos.

“Estamos procurando desde a semana passada uma conversa e um entendimento em relação a isso. Tudo tem um limite e a gente tem que respeitar se essa parte técnica é uma ideia do governador, eu compartilho que vários partidos têm técnicos para ocupar os hospitais. Eu também acho que tem que ser técnico, mas acredito que a decisão é do governador”, afirmou.

Arcoverde ainda ironizou a situação, afirmando que “se a gente não conseguir indicar nenhum técnico do partido, ele [o governador Wellington Dias] indica o dele lá”.

Críticas de B.Sá Filho

O deputado B.Sá Filho (PP) tem manifestado amplamente na mídia a sua insatisfação em relação a indicação, já que ele foi o mais votado em Oeiras e deveria então ser o responsável pela indicação da direção do hospital.

“Ele teve 7 mil votos na cidade, o segundo colocado teve 2 mil votos e ele acha que o critério técnico tem quer por parte da indicação dele. Não é só ele que tem feito isso, vários outros deputados estão brigando por essas direções de hospitais e o que ele tem dito, é que se não assumir [quem ele quer], não indicará nenhum cargo na cidade de Oeiras”, destacou Arcoverde.

Indicações

Ao todo, 34 hospitais estão hoje sob a responsabilidade do Piauí e destes, apenas o HGV já tem um nome definido que é o do médico Gilberto Albuquerque que esteve por mais de 11 anos à frente do Hospital de Urgência de Teresina (HUT).

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Assis diz que B. Sá Filho mente sobre apoio a Wellington Dias

B. Sá manda recado e diz para Wellington Dias pensar no futuro

B. Sá desmente Assis e mostra áudio pedindo voto para Wellington

Mais conteúdo sobre: