Economia e Negócios

Vamos reduzir juros se houver corte da Selic, diz Guimarães

O presidente da Caixa espera decisão do Copom sobre taxa na semana que vem; o banco já reduziu os juros mínimos do cheque especial para 4,99% ao ano.

Por  Estadão Conteúdo

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, disse nesta segunda-feira, 2, que haverá novas reduções de juros do cheque especial, do rotativo do cartão de crédito, entre outras, se confirmada nova diminuição da taxa Selic na próxima semana.

A taxa básica de juros do País está na mínima histórica, de 5% ao ano. O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central se reúne nos próximos dias 10 e 11 - a expectativa do mercado é um novo corte nos juros.

Na semana passada, o governo decidiu limitar a 8% ao mês os juros cobrados pelos bancos no cheque especial, mas permitiu que as instituições cobrem uma tarifa mensal para oferecer o produto a seus clientes.

No último dia 12, a Caixa já havia anunciado que reduziria os de juros no cheque especial: a taxa mínima cobrada pela instituição passou de 9,99% para 4,99%.

A taxa média do cheque especial no Brasil, de acordo com o Banco Central, recuou de 307,6% em setembro para 305,9% em outubro de 2019. No acumulado do ano, porém, houve queda de 6,7 pontos porcentuais - pois a taxa somava 312,6% ao ano no fim de 2018.

Guimarães participa de evento do banco para discutir ações de inclusão de pessoas com deficiência. Além dele, estão presentes o presidente Jair Bolsonaro e a primeira-dama, Michelle Bolsonaro. A Caixa contratou 1.822 empregados com deficiência em 2019, aumentando o seu quadro para 3.413.Se houver corte na Selic, vamos reduzir juros do cheque especial

Mais conteúdo sobre: