GP1

Esperantina - PI

Vilma Amorim gastou R$ 400 mil com organização do Festival do Peixe

O Festival foi realizado em momento crítico, de atraso nos salários dos servidores e quando o gasto com pessoal já extrapolava o que determina a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Dois contratos assinados pela prefeita Vilma Amorim (PT) apontam que a Prefeitura de Esperantina gastou mais de R$ 400 mil reais no Festival do Peixe, realizado em julho, apenas com a infraestrutura e a organização do evento.

A prefeita sempre afirmou que os gastos seriam custeados com recursos estaduais, alocados através de emendas parlamentares e apoio do Governo do Estado.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Vilma AmorimVilma Amorim

O Festival foi realizado em momento crítico, de atraso nos salários dos servidores e quando o gasto com pessoal já extrapolava o que determina a Lei de Responsabilidade Fiscal, atingindo estratosféricos 70%.

Os valores despendidos foram incompatíveis com o momento de crise da municipalidade.

R$ 123 mil para empresa organizar o evento

Apenas com a empresa Teresinha de Sousa e Silva – ME contratada para a organização do evento, a prefeitura gastou R$ 123.000,00 (cento e vinte e três mil reais).

Na estranha composição de custos foram inseridas despesas de toda ordem, a exemplo de troféus de participação, coletes salva-vidas, touca para natação, campo de areia, decoração, transferência tecnológica, aluguel de drones e tambores para coleta seletiva de lixo.

Numa rápida pesquisa de preços, tambores de 200 litros, como descritos no projeto, foram encontrados por R$ 550,00 (quinhentos reais), a unidade, bem abaixo do valor de R$ 1.000,00 (um mil reais) inseridos na planilha e que denotam sobrepreço de quase 100%.

A empresa cobrou pelo projeto de segurança e Corpo de Bombeiros o valor de R$ 9.000,00 (nove mil reais).

Prefeitura gastou R$ 292 mil com infraestrutura

A empresa FF Andrade Neto – EPP, de Barras/PI, foi contratada por R$ 292.905,00 (duzentos e noventa e dois mil e novecentos e cinco reais) para a locação da infraestrutura do evento.

Chama atenção o gasto com o aluguel de arquibancadas no valor de R$ 44.460,00 (quarenta e quatro mil e quatrocentos e sessenta reais) com estrutura de 50 metros e com 09 degraus.

Pessoas que estiveram presentes ao Festival afirmaram a reportagem, sob anonimato, que não foram montadas estrutura de arquibancadas, o que pode ser facilmente comprovado com registros fotográficos e imagens colhidas no evento.

O Ministério Público deverá ser acionado para investigar os gastos com os dois contratos.

Outro lado

Procurada pelo GP1 na manhã desta sexta-feira (16), a prefeita Vilma Amorim disse que não vai querer se posicionar sobre o caso.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.