GP1

Piauí

Maternidade Sigefredo Pacheco é interditada pelo CRM

A interdição ética total vai durar 60 dias e novas vistorias serão realizadas no local.

O Conselho Regional de Medicina no Piauí decidiu realizar interdição ética total, na tarde desta segunda-feira (03), na Maternidade privada Sigefredo Pacheco, situada no município de Campo Maior. A decisão foi tomada durante uma reunião que aconteceu na Plenária do CRM-PI.

O motivo da interdição da unidade foi devido a incapacidade de atendimento mínimo à população que foi constatada em uma vistoria dos representantes do Conselho. Na maternidade, foi constatada a falta de equipamentos e medicamentos essenciais para a realização de procedimentos.

  • Foto: Divulgação/ CRM-PIMaternidade Sigefredo PachecoMaternidade Sigefredo Pacheco

Entre os problemas graves apontados pelo conselho, estão a falta de colchão na maca do centro cirúrgico e de uma estrutura de conforto para gestantes em enfermarias. Uma outra falha foi a falta de escala de médicos. A instituição conta apenas com um anestesista.

A interdição ética total irá durar por 60 dias e novas vistorias serão realizadas para avaliação. As gestantes de baixo e médio risco serão atendidas em outras unidades de Campo Maior e as de alta complexidade serão encaminhadas para a Maternidade Dona Evangelina Rosa, na Capital.

Outro lado

Nenhum representante da maternidade foi localizado pelo GP1.

Confira o documento de interdição:

  • Foto: DivulgaçãoDocumento do CRMDocumento do CRM

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.