GP1

Teresina - Piauí

Acusados de matar advogado Anísio Neto são presos novamente pelo DHPP

Segundo o DHPP, os dois acusados de matar o advogado estavam soltos, pela Justiça, desde ontem.

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) prendeu, novamente, nesta terça-feira (12), os três acusados de assassinarem o advogado Anísio Gomes da Silva Neto, que foi espancado até a morte no último dia 06 de maio deste ano, na zona sul de Teresina.

Segundo o delegado Luiz Guilherme, do DHPP, os acusados já haviam sido presos, de forma temporária, durante as investigações do caso, porém, a Polícia Civil já tinha solicitado a conversão da prisão para preventiva, que foi atendida pelo Tribunal de Justiça no dia 6 de outubro. Com isso, logo após serem soltos, os suspeitos foram novamente presos.

Foto: Marcelo Cardoso/GP1Acusados de matar advogado
Acusados de matar advogado

“Os que estavam envolvidos na morte do advogado Anísio foram liberados ontem do Sistema Penitenciário. Estavam presos por causa de uma prisão temporária. Mas já foram presos novamente hoje, em cumprimento de mandado de prisão preventiva cuja decisão já tinha saído”, destacou o delegado.

Ainda segundo o DHPP, um foi preso na Vila do Cego, na região do bairro Promorar, o outro foi capturado no bairro São Pedro. Já o terceiro acusado, que também estava em prisão temporária, os policiais conseguiram cumprir o mandado na Cadeia Pública de Altos.

Foto: Marcelo Cardoso/GP1Os suspeitos estavam em prisão temporária
Os suspeitos estavam em prisão temporária

Relembre o caso

Anísio Gomes da Silva Neto foi assassinado, na noite do dia 6 de maio de 2021, no bairro São Pedro, zona sul de Teresina. De acordo com informações obtidas pelo GP1, o advogado foi espancado em via pública.

Anísio ainda conseguiu pedir socorro em uma casa, mas acabou não resistindo aos ferimentos, a maioria deles na cabeça, e morreu. O SAMU chegou a ser acionado, mas a vítima já estava sem vida. Conforme relatos de testemunhas à polícia, Anísio Neto teria falado algo contra uma garota, o que gerou o desentendimento com os suspeitos, que o atacaram e passaram a espancá-lo.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.