GP1

Teresina - Piauí

Motoristas de ônibus devem iniciar greve no dia 8 em Teresina

A decisão foi tomada durante assembleia realizada no dia 26 de janeiro.

Motoristas e cobradores de ônibus de Teresina decidiram que vão entrar de greve no dia 8 de fevereiro por tempo indeterminado. A decisão foi tomada durante assembleia realizada no dia 26 de janeiro. Em entrevista ao GP1, na manhã desta segunda-feira (01), o secretário de previdência e assistência social do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Rodoviário do Estado do Piauí (Sintetro), Francisco Sousa, explicou que a categoria tentou negociar o acordo coletivo, mas sem êxito.

“Nós começamos a negociar nossa convenção desde dezembro do ano passado que era para ter fechado até o dia 1º de janeiro e não obtivemos sucesso, diante dessa situação por não fecharmos a nossa convenção coletiva do trabalho, os trabalhadores decidiram em assembleia, no último dia 26 de janeiro, que haverá greve no sistema de transporte a partir do dia 8 de fevereiro por tempo indeterminado”, contou.

Foto: Alef Leão/GP1Francisco Sousa
Francisco Sousa

Francisco elencou ainda os motivos que fizeram com que os trabalhadores decidissem pela greve. “Os motivos são o não fechamento do acordo coletivo ano 2021, redução do salário dos trabalhadores que era para estar pagando R$ 2.028 e tão pagando R$ 1.941, além da retirada dos benefícios que é um problema crônico”.

“Também pedimos na nossa minuta melhoria no transporte como a renovação de frota, aumento de frota, melhorias nos terminais, são essas as reivindicações que temos colocado, mas até hoje nossas reivindicações não foram atendidas, pelo contrário os empresários querem é reduzir salários, gerar desemprego, eles querem demitir 50% dos cobradores, isso é desemprego, gera aumento no serviço para o motorista que além de dirigir vai ser obrigado a cobrar passagem, isso é ilegal”, disparou o sindicalista.

No entanto, ele não descartou a hipótese da categoria desistir da greve caso os empresários acatem suas reivindicações ou apresentem proposta que seja aceitar por eles. “O sindicato está aberto a negociar até o dia 7, esperamos que a patronal analise a proposta apresentada e atendem nossas reivindicações ou apresentem uma contraproposta satisfatória para que os trabalhadores discutam e analisem se aceitam ou não”, finalizou.

Paralisação

Na semana passada, motoristas e cobradores de ônibus paralisaram atividades por três dias alegando falta de pagamento do ticket alimentação. No dia 27 de janeiro, após uma reunião com o superintendente da Strans, major Cláudio Pessoa, a categoria decidiu suspender a paralisação.

Na ocasião, foi repassado o valor de R$ 600 mil ao Setut para garantir o pagamento do ticket-alimentação e plano de saúde, em cumprimento a um acordo firmado pelo então prefeito Firmino Filho para encerrar uma greve iniciada pelos trabalhadores em novembro.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.