GP1

Matias Olímpio - Piauí

Promotor abre investigação contra o prefeito de Matias Olímpio

Além do prefeito, ainda serão investigados o ex-prefeito Fogoió e o atual vice-prefeito Israel Machado.

O Ministério Público instaurou inquérito civil Público, através do promotor Carlos Rogério Beserra da Silva, para investigar o uso de imóvel locado pela Prefeitura de Matias Olímpio para abrigar a sede do Conselho Municipal de Educação e utilizado como comitê de campanha do então candidato a prefeito Genivaldo Nascimento Almeida, mais conhecido como “Geno”.

A investigação vai apurar a prática de improbidade administrativa por parte do ex-prefeito Edísio Alves Maia, o conhecido “Fogoió”, do atual prefeito Geno e do vice-prefeito Israel Machado Garcia, por violação ao princípio da publicidade e às regras de finanças públicas, ao realizar despesa sem prévio empenho.

Foto: GP1-Reprodução/FacebookPrefeito Geno e ex-prefeito Fogoió
Prefeito Geno e ex-prefeito Fogoió

O membro ministerial considerou para a abertura do procedimento a representação feita pela Promotoria Eleitoral com atuação na 80ª Zona.

A portaria de instauração foi baixada no dia 16 de junho deste ano.

Entenda o caso

O Município de Matias Olímpio, através do prefeito Fogoió, realizou contrato com Neilton Araújo Pinto, de locação do imóvel para funcionamento do Conselho Municipal de Educação pelo período de 12 meses.O contrato foi publicado no Diário Oficial dos Municípios, edição de 10 de junho de 2020.

O imóvel, no entanto, foi utilizado como comitê de campanha do investigado Geno, que à época era vice-prefeito e candidato a prefeito, em total descompasso com a legislação eleitoral.

Outro lado

Procurado na manhã desta terça-feira (22), o prefeito Geno não quis se pronunciar sobre o caso.

Já o ex-prefeito Fogoió não foi localizado pelo GP1.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.