GP1

Altos - PI

Justiça determina religação de energia da Prefeitura de Altos

A decisão foi dada nessa quarta-feira (23), pelo juiz da Comarca de Altos, Ulysses Gonçalves Neto.

O juiz da Comarca de Altos, Ulysses Gonçalves Neto, determinou nessa quarta-feira (23), em decisão judicial, a religação imediata de energia fornecida à Prefeitura de Altos pela empresa Equatorial Piauí sob pena de multa diária fixada em R$ 2 mil. O magistrado deferiu pelo caráter de urgência tendo em vista que a medida por parte da empresa afrontava serviço essencial à população.

Na última terça-feira (22), a administração foi surpreendida com a suspensão do fornecimento de energia à sede do poder público municipal por parte da empresa Equatorial, o que paralisou o andamento dos trabalhos da municipalidade e resultou numa quebra de acordo judicial.

O poço que abastece o bairro São Sebastião também sofreu interrupção de energia e moradores da localidade foram prejudicados com a falta de água.

Um acordo (processo nº 0800717-58.2021.8.18.0036) entre a prefeitura e a concessionária vinha sendo cumprido rigorosamente pela atual gestão do prefeito Maxwell da Mariínha. Dívidas gigantescas à Equatorial que chegam aos R$ 18 milhões foram deixadas pela gestão passada, e a prefeitura para não ter suspenso o serviço de energia elétrica ainda paga parcelas de quase R$ 50 mil mensais referentes ao ano de 2020.

Diante do corte de energia e de notificação da empresa Equatorial pedindo pagamento de R$ 882.633,31 no prazo de 15 dias, a prefeitura requereu tutela de urgência e o imediato reestabelecimento do fornecimento de energia por estar cumprindo com o pagamento das parcelas em acordo.

Em defesa, o município apresentou comprovantes de depósito judicial das parcelas pagas tendo a Equatorial, portanto, desobedecido o acordo.

Confira aqui a decisão judicial

Comprovantes de depósito judicial:

Janeiro

Fevereiro

Março

Abril

Maio

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.