GP1

Pedro II - Piauí

"Ficaram traumas", diz noivo um ano após morte de Izadora Mourão

O irmão de Izadora, João Paulo, e a mãe Maria Nerci vão a julgamento em março acusados do homicídio.

Há exatamente 1 ano, no dia 13 de fevereiro de 2021, a advogada Izadora Santos Mourão foi assassinada com 7 golpes de faca, dentro de sua residência em Pedro II, região Norte do Piauí,. Os acusados do homicídio triplamente qualificado são o irmão de Izadora, o jornalista João Paulo Santos Mourão e a mãe Maria Nerci dos Santos Mourão.

Um ano após a barbárie que chocou o Piauí, o GP1 conversou com o então noivo de Izadora Mourão, Marcos Viana. Ele contou a nossa reportagem que ainda está muito devastado com tudo que aconteceu, e que tenta aos poucos se recuperar da tragédia que se abateu sobre sua vida.

Foto: Reprodução/FacebookIzadora Mourão
Izadora Mourão

"Sim, ainda estou em fase de recuperação. Ainda abalado com tudo que aconteceu. Ficaram muitos traumas e sequelas na minha vida, mas tenho que ser forte para continuar. Não é fácil esquecer de tudo que aconteceu, agora resta lutar por justiça", afirmou Marcos.

Marcos Viana, que atualmente trabalha como gerente em um restaurante em São Paulo, revelou ainda que o casal tinha muitos planos e sonhos interrompidos abruptamente. “Nós estávamos nos preparando para casar, sonhávamos em ter filhos, e tínhamos muitos planos para concretizarmos juntos. Izadora tinha três formações, e estudava todos os dias para ser uma delegada, esse era o maior sonho dela”, contou.

Jamais imaginaria que ela pudesse ser morta

Marcos Viana contou que Izadora Mourão se queixava com ele que diariamente era ameaçada pela mãe e pelo irmão, mas o casal não imaginava que uma briga familiar pudesse terminar com o assassinado da advogada.

“A gente pensa que todas as pessoas têm o coração bom, mas às vezes a gente se engana com isso, jamais imaginaria que fosse acontecer o que aconteceu. Ela sempre me falou que existia uma briga interna na casa dela, que o irmão dela estava ameaçando ela, que a mãe dela estava ameaçando, mas pensávamos ser apenas uma briga de família e que tudo iria se resolver entre eles”, finalizou.

Julgamento dos João Paulo e Maria Nerci acontece em março

A Justiça da Comarca de Pedro II marcou para 16 de março de 2022, a partir das 07h, a sessão plenária do Tribunal Popular do Júri que vai julgar o jornalista João Paulo dos Santos Mourão e a mãe Maria Nerci dos Santos Mourão acusados do assassinato da advogada Izadora Santos Mourão.

Foto: Reprodução/FacebookMaria Nerci e João Paulo Mourão
Maria Nerci e João Paulo Mourão

João Paulo e Maria Nerci foram pronunciados por homicídio triplamente qualificado (meio cruel, com uso de recurso que dificultou a defesa da vítima e feminicídio) e caso sejam condenados, cada um poderá pegar até 30 anos de prisão.

João Paulo segue preso desde o dia 15 de fevereiro de 2021, no sistema prisional do estado do Piauí, já Maria Nerci cumpre prisão domiciliar em sua casa, na cidade de Pedro II.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.