GP1

Teresina - Piauí

27ª Caminhada da Fraternidade: amor, fé e solidariedade

Com o tema “Alegria: nossos passos cheios de amor”, o evento aconteceu no sábado (11), em Teresina.

Alef Leão/GP1 1 / 22 Público da 27ª Caminhada da Fraternidade Público da 27ª Caminhada da Fraternidade
Alef Leão/GP1 2 / 22 Missa aconteceu no adro da Igreja São Benedito Missa aconteceu no adro da Igreja São Benedito
Alef Leão/GP1 3 / 22 Igreja São Benedito Igreja São Benedito
Alef Leão/GP1 4 / 22 Padre Tony Batista Padre Tony Batista
Alef Leão/GP1 5 / 22 Público percorreu todo o trajeto a pé Público percorreu todo o trajeto a pé
Alef Leão/GP1 6 / 22 Fiéis passaram pela Avenida Frei Serafim em direção a Arena Teresina Shopping Fiéis passaram pela Avenida Frei Serafim em direção a Arena Teresina Shopping
Alef Leão/GP1 7 / 22 Mais de 15 mil pessoas participaram da 27ª Caminhada da Fraternidade Mais de 15 mil pessoas participaram da 27ª Caminhada da Fraternidade
Alef Leão/GP1 8 / 22 Percurso foi animado pela banda Melhor de Três Percurso foi animado pela banda Melhor de Três
Alef Leão/GP1 9 / 22 Multidão durante a 27ª Caminhada da Fraternidade Multidão durante a 27ª Caminhada da Fraternidade
Alef Leão/GP1 10 / 22 Idosa Maria do Carmo, de 92 anos Idosa Maria do Carmo, de 92 anos
Alef Leão/GP1 11 / 22 Pessoas de todas as idades participaram da Caminhada da Fraternidade Pessoas de todas as idades participaram da Caminhada da Fraternidade
Alef Leão/GP1 12 / 22 Milhares de pessoas passaram pela Avenida Frei Serafim durante a 27ª Caminhada da Fraternidade Milhares de pessoas passaram pela Avenida Frei Serafim durante a 27ª Caminhada da Fraternidade
Alef Leão/GP1 13 / 22 Público jovem esteve presente na Caminhada da Fraternidade Público jovem esteve presente na Caminhada da Fraternidade
Alef Leão/GP1 14 / 22 Idosa Maria do Carmo participou do evento ao lado das netas Idosa Maria do Carmo participou do evento ao lado das netas
Alef Leão/GP1 15 / 22 Jesus é a base da solidariedade Jesus é a base da solidariedade
Alef Leão/GP1 16 / 22 Jovens durante a Caminhada da Fraternidade Jovens durante a Caminhada da Fraternidade
Alef Leão/GP1 17 / 22 Família participa da Caminhada da Fraternidade Família participa da Caminhada da Fraternidade
Alef Leão/GP1 18 / 22 Jovens durante a Caminhada da Fraternidade Jovens durante a Caminhada da Fraternidade
Alef Leão/GP1 19 / 22 Guilherme, de 6 anos Guilherme, de 6 anos
Alef Leão/GP1 20 / 22 Ivonete Lopes Ivonete Lopes
Alef Leão/GP1 21 / 22 A cadeirante Ivonete Lopes participou da Caminhada da Fraternidade A cadeirante Ivonete Lopes participou da Caminhada da Fraternidade
Alef Leão/GP1 22 / 22 Fiéis se alongam antes da caminhada Fiéis se alongam antes da caminhada

Após dois anos sem acontecer por conta da pandemia da covid-19, a 27ª edição da Caminhada da Fraternidade levou milhares de pessoas pelas principais avenidas de Teresina no último sábado (11) e voltou a reacender a chama da solidariedade nos corações dos teresinenses.

Com o tema “Alegria: nossos passos cheios de amor”, o evento teve início às 16h30 com a Santa Missa presidida pelo arcebispo de Teresina, Dom Jacinto Brito, no adro da histórica Igreja São Benedito, e logo depois os fiéis seguiram pela Avenida Frei Serafim ao som do grupo “Melhor de Três” com destino a Arena do Teresina Shopping, onde aconteceu o show da Comunidade Católica Colo de Deus. Foram entoados sucessos como “Acaso Não Sabeis”, “Eis-me Aqui” e “Desperta”, levando o público à euforia de finalmente poder retornar a um grande evento católico depois de dois anos em formato virtual.

Com a presença de cerca de 15 mil pessoas, entre crianças, jovens, adultos e idosos, a Caminhada da Fraternidade teve como intercessores comuns o amor ao próximo, a fé em Deus e a solidariedade. Ao todo, cerca de 9 mil camisas foram vendidas e todo o dinheiro arrecadado será destinado aos projetos mantidos pela Ação Social Arquidiocesana (ASA) – organização sem fins lucrativos que desenvolve diversas ações sociais em Teresina.

Para o organizador da Caminhada da Fraternidade, padre Isaías Pereira, a cada edição é renovada a esperança no coração de cada um que acredita no trabalho desenvolvido pela entidade. “A Caminhada da Fraternidade renova a nossa esperança, ela faz a gente seguir com fé de que o bem pode continuar a ser feito, de que podemos continuar estendendo a mão ao outro. Essa fé e essa esperança não podem morrer”, declarou Isaías Pereira.

O arcebispo de Teresina, Dom Jacinto Brito, destacou que a Igreja Católica sempre busca incentivar o compromisso dos fiéis com os que mais necessitam. “A orientação é que a comunidade retome os mesmos ideais que nós incentivamos nos anos anteriores, com o renovado gosto, com a renovada alegria e, sobretudo, com compromisso, que não seja somente um caminhar, mas que esse caminhar seja um símbolo de não ficar na indiferença e, sim, de ir ao encontro do outro”, ressaltou Dom Jacinto.

Até os mais jovens entraram no clima da festa, como é o caso de Gustavo, de apenas 6 anos, que vai descobrindo ao andar de mãos dadas com os pais, como crescer sendo solidário e consciente do dever de ajudar o próximo. “Vim com meu pai e minha mãe. Eu gostei muito porque aqui além de ajudar quem precisa, nós dançamos e comemos pipoca”, disse Gustavo, sorrindo.

A Caminhada da Fraternidade é um evento para todos. A festividade também dá espaço à inclusão social, mostrando que a força de vontade de ser solidário se sobressai a qualquer enfermidade. Mesmo em uma cadeira de rodas, a idosa Ivonete Lopes, de 62 anos, não deixou de percorrer todo o percurso da caminhada. “Eu tenho dificuldade de caminhar, mas meu filho disse que me traria e eu não poderia deixar de participar, de agradecer o dom da vida e de colaborar de todas as formas com quem mais precisa”, pontuou dona Ivonete Lopes.

Os mais idosos também não ficaram de fora da caminhada pela solidariedade. Maria do Carmo, de 92 anos, foi ao evento ao lado das duas netas e garantiu que participou de todas as edições do evento. “Eu amo caminhar com a minha igreja, venho desde a primeira edição. E olhe que eu sou bem novinha, tenho meus 92 anos, mas com o mesmo sentimento de sempre poder contribuir com o outro”, frisou a idosa Maria do Carmo.

O evento organizado pela ASA tem como objetivo arrecadar recursos para manter projetos sociais voltados para as pessoas em situação de vulnerabilidade social. São eles: Lar de Misericórdia – que acolhe pessoas em situação de enfermidade, principalmente portadoras de câncer; o Centro Esperança Garcia – entidade que realiza atendimento psicológico e social à mulheres em situação de violência; Casa de Zabelê – voltada para o atendimento de crianças e adolescentes vítimas de violência – e o Centro Maria Imaculada – que atende pessoas portadoras de hanseníase. Todos os serviços são gratuitos e disponibilizados para qualquer pessoa que necessite de atendimento, residente ou não em Teresina.

Conheça os projetos sociais mantidos pela Ação Social Arquidiocesana (ASA):

LAR DE MISERICÓRDIA

O Lar de Misericórdia atua desde 1992 acolhendo pessoas portadoras de câncer, oriundas de outros estados e municípios, sem residência domiciliar em Teresina.

Foto: Lucas Dias/GP1Lar de Misericórdia
Lar de Misericórdia

A assistente social do Lar de Misericórdia, Lana Graziele, explicou que esses pacientes são encaminhados pelo serviço social do Hospital Universitário e do Hospital São Marcos e que precisam de uma assistência humanizada para fazer o tratamento longe de casa. Segundo ela, o principal objetivo da instituição é dar um alívio a essas pessoas que estão sofrendo com o câncer.

Foto: Lucas Dias/GP1Assistente social Lana Graziele
Assistente social Lana Graziele

“O Lar de Misericórdia, assim como muitos serviços da Ação Social Arquidiocesana, é beneficiado diretamente com a venda dessas camisas da Caminhada da Fraternidade. Existe um custo muito alto para a manutenção dos serviços que oferecemos. Aqui no Lar de Misericórdia nós acolhemos pacientes oncológicos do sexo feminino e masculino acima de 18 anos e temos pessoas de até 90 anos. Os pacientes são encaminhados pelo serviço social do Hospital Universitário e do Hospital São Marcos. São pacientes muito vulneráveis, de outros municípios do Piauí e de outros estados. Alguns não têm referência nenhuma aqui e precisam de todo suporte, tanto na questão da alimentação, como da acolhida, de uma boa acomodação e na questão da orientação, pois eles precisam de direitos básicos, como dar entrada no auxílio que eles têm direito por fazer tratamento fora do domicílio deles, além de outras orientações. A gente oferece esse suporte de acolhida, de orientação e do que eles precisam durante o tratamento. A gente procura dar um alívio naquele momento de dor. Eles chegam sem aceitar a doença e pensando negativamente. Aqui eles encontram o apoio tanto nas pessoas que trabalham de forma voluntária quanto em quem está passando pela mesma situação, então fica um ajudando o outro”, disse Lana Graziele.

Foto: Lucas Dias/GP1Capela do Lar de Misericórdia
Capela do Lar de Misericórdia

Atualmente 24 pessoas são atendidas diariamente no Lar de Misericórdia, que precisa de doações constantes para manter seu funcionamento.

Foto: Lucas Dias/GP1Refeitório do Lar de Misericórdia
Refeitório do Lar de Misericórdia

“A gente atende diariamente 24 pessoas e o período de estadia depende do tratamento de cada um. Nós temos pacientes que fazem radioterapia que tem que ficar mais de 30 dias e outros que ficam uma semana. Aqui no lar a gente sobrevive de doações e parcerias, então toda a ajuda de custo é bem-vinda. Todo o recurso que é adquirido com a venda de camisetas da Caminhada da Fraternidade faz diferença ao longo do ano. A gente tem um consumo de gás, energia, alimentação, material de limpeza e higiene para eles. Então tudo isso a gente vai mantendo com recursos da Caminhada da Fraternidade, assim como outros serviços da ASA”, frisou a assistente social do Lar de Misericórdia.

Como doar

A instituição recebe doações de alimentos, materiais de limpeza, higiene e de afeto, pois os pacientes precisam de carinho e atenção para superar as barreiras impostas pelo tratamento contra o câncer. Os interessados em fazer qualquer tipo de doação podem se dirigir de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, ao Lar de Misericórdia, localizado na Avenida Dom Severino, no bairro Horto Florestal, zona leste de Teresina.

Foto: Lucas Dias/GP1Idosa hospedada no Lar de Misericórdia
Idosa hospedada no Lar de Misericórdia

“As pessoas podem ajudar tanto com doação de alimento, roupas, calçados, material de limpeza, material de higiene e doação do tempo. Às vezes a pessoa vem e faz algum tipo de atividade com eles, isso também é doação e vai fazer diferença para eles. Todos podem vir até aqui e procurar a direção da casa para ver como podem contribuir”, finalizou Lana Graziele.

CENTRO DE REFERÊNCIA ESPERANÇA GARCIA

O Centro de Referência Esperança Garcia (CREG) atua desde 2015 realizando atendimento psicológico e social, bem como orientação jurídica às mulheres em situação de violência doméstica, familiar e de gênero residentes em Teresina, com idade de 18 a 59 anos.

Foto: Lucas Dias/GP1Centro de Referência Esperança Garcia
Centro de Referência Esperança Garcia

De acordo com a coordenadora Roberta Mara, atualmente 400 mulheres estão vinculadas ao centro, que busca levar um atendimento humanizado às mulheres vítimas de todo e qualquer tipo de violência.

Foto: Lucas Dias/GP1Roberta Mara, coordenadora do Centro Esperança Garcia
Roberta Mara, coordenadora do Centro Esperança Garcia

“A execução do nosso trabalho é feita pela Ação Social Arquidiocesana e temos os recursos da Caminhada da Fraternidade à disposição sempre que precisamos. Nossa instituição vem desenvolvendo seu trabalho com muito zelo e afinco, a fim de realmente atender a sociedade teresinense da melhor forma possível. Nós atendemos especificamente a mulher em situação de violência doméstica, familiar e de gênero. Atualmente, temos mais de 400 mulheres vinculadas ao Centro de Referência, sendo que em média 30 a 40 delas estão mensalmente inseridas”, informou Roberta Mara.

Foto: Lucas Dias/GP1Espaço onde é realizado o atendimento de mulheres no Centro Esperança Garcia
Espaço onde é realizado o atendimento de mulheres no Centro Esperança Garcia

A coordenadora explicou que o diferencial do Centro de Referência Esperança Garcia é o modo como as mulheres são acolhidas por meio de um serviço humanizado e prestado com carinho e zelo.

Foto: Lucas Dias/GP1Espaço para crianças no Centro Esperança Garcia
Espaço para crianças no Centro Esperança Garcia

“Nós temos a equipe multiprofissional composta por assistente social, psicóloga, assessora jurídica e a terapeuta corporal, que desenvolve as práticas integrativas. Sempre buscamos desenvolver essas ações da melhor forma, principalmente com a preocupação de realizar um atendimento humanizado, de acolher com zelo as mulheres vítimas de violência que passam por aqui. Sabemos que não é fácil passar por qualquer tipo de violação e por isso o nosso trabalho é tão importante”, explicou Roberta Mara.

Como doar

Atualmente, o Centro Esperança Garcia conta com o apoio da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (Semcaspi). No entanto, a pessoa física ou jurídica que desejar fazer uma doação para a instituição pode procurar a Ação Social Arquidiocesana (ASA), que fará a distribuição dos recursos arrecadados para todos os projetos contemplados, entre eles o Centro Esperança Garcia.

A instituição está localizada na Rua Benjamin Constant, centro/norte, e funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

CASA DE ZABELÊ

A Casa de Zabelê foi criada em 1996 e é voltada ao atendimento de crianças e adolescentes em situação de violência em Teresina. A instituição atua dentro da Rede de Proteção Social da Criança e do Adolescente e acolhe crianças e adolescentes encaminhadas pelos conselhos tutelares, varas da infância, Ministério Público, CRAS, CREAS e escolas.

Foto: Lucas Dias/GP1Casa de Zabelê
Casa de Zabelê

Conforme o coordenador técnico do projeto, Francisco Moreira, os recursos da Caminhada da Fraternidade ajudam a manter a assistência a cerca de 100 crianças e adolescentes entre 7 e 17 anos.

Foto: Lucas Dias/GP1Francisco, coordenador técnico da Casa de Zabelê
Francisco Moreira, coordenador técnico da Casa de Zabelê

“A Caminhada da Fraternidade vem para potencializar as ações que aqui são desenvolvidas e é um movimento voltado para o engajamento da sociedade para a humanização e a qualidade de vida das pessoas que precisam. Os projetos da ASA não visam só o assistencialismo, vai muito além disso. É uma política pública que é feita em parceria com órgãos públicos, mas que vem para tentar suscitar nessa pessoa o resgate da sua cidadania, que é o mais importante. Quando você compra um kit da Caminhada da Fraternidade você não está apenas comprando uma camisa para caminhar, você está se vestindo de cidadania. Você está valorizando um trabalho que vem sendo desenvolvido há mais de 60 anos pela Igreja Católica em Teresina, e que é pioneiro nessas ações de política de assistência social e política de assistência em saúde, abarcando vários ciclos etários de pessoas, desde a criança até o idoso. Na Casa de Zabelê, por exemplo, são atendidas cerca de 100 crianças de 7 a 17 anos diariamente”, pontuou Francisco Moreira.

Foto: Lucas Dias/GP1Espaço lúdico para as crianças da Casa de Zabelê
Espaço lúdico para as crianças da Casa de Zabelê

Francisco Moreira explicou que a Casa de Zabelê oferta diariamente um atendimento psicossociopedagógico à essas vítimas de violência. A instituição desenvolve atividades durante todo o dia, e se responsabiliza por alimentação e transporte das crianças. Segundo ele, o projeto busca principalmente devolver a infância daquela criança que foi violentada.

Foto: Lucas Dias/GP1Sala de dança da Casa de Zabelê
Sala de dança da Casa de Zabelê

“São atendidas 100 crianças diariamente, distribuídas nos turnos manhã e tarde. É disponibilizado um transporte para elas e alimentação durante todas as atividades. Aqui oferecemos um atendimento psicossociopedagógico, onde três áreas atuam em conjunto: a assistência social, a pedagogia e a psicologia. Dentro dessas áreas nós temos ainda três núcleos de atendimento: o direto, voltado para essas crianças que sofreram violação de direito, seja violência doméstica, abuso sexual ou exploração social; o núcleo de profissionalização, que acolhe adolescentes na condição de aprendiz e oferece cursos de Moda e Serigrafia; e ainda o núcleo da dança contemporânea, que é voltado para qualquer criança ou adolescente da comunidade que queira participar. Temos 26 anos de história de enfrentamento à violação de direitos das crianças e adolescentes, então a própria sociedade nos procura. A demanda é espontânea. É uma casa que vem ao longo desse período ressignificando muitas histórias de vida. Nós buscamos acima de tudo devolver essa infância que foi violentada”, frisou o coordenador técnico da Casa de Zabelê.

Como doar

A Casa de Zabelê recebe doações de cestas básicas, materiais de limpeza e principalmente materiais de higiene íntima para meninas. Para doar, basta entrar em contato com a instituição através do Instagram @casadezabele ou pelo WhatsApp: (86) 99828-5613.

A instituição funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h e está localizada na Avenida Pedro Freitas, bairro Vermelha, zona sul de Teresina.

CENTRO MARIA IMACULADA

O Centro Maria Imaculada foi criado em 1970 e oferece tratamento gratuito a pacientes com hanseníase regulados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O local oferece serviços de fisioterapia, psicologia, dermatologia, centro cirúrgico, exames laboratoriais, sapataria ortopédica, setor de enfermagem e farmácia a cerca de 50 pacientes encaminhados pelas unidades de saúde.

Foto: Lucas Dias/GP1Centro Maria Imaculada
Centro Maria Imaculada

De acordo com a coordenadora do centro, Sara Moura, parte dos recursos arrecadados com as vendas de camisas da Caminhada da Fraternidade são destinados para compra de materiais necessários para o funcionamento da instituição.

Foto: Lucas Dias/GP1Sara, coordenadora do Centro Maria Imaculada
Sara, coordenadora do Centro Maria Imaculada

“A Caminhada da Fraternidade, por meio da ASA, beneficia na questão do apoio material de tudo que a gente precisa para consolidar o nosso atendimento com os pacientes. Todo o suporte de material, desde o equipamento para fisioterapia, material para confecção de palmilhas, talas e férulas, tudo que um paciente possa precisar durante o seu tratamento e pós-tratamento, a ASA, juntamente com a Caminhada da Fraternidade, disponibiliza o recurso para compra desse aparato”, destacou Sara Moura.

Foto: Lucas Dias/GP1Espaço de fisioterapria do Centro Maria Imaculada
Espaço de fisioterapria do Centro Maria Imaculada

A coordenadora Sara Moura disse ainda que o Centro Maria Imaculada conta com uma equipe multidisciplinar, que sempre está disposta a oferecer um tratamento de qualidade a essas 50 pessoas que passam diariamente pela instituição.

Foto: Lucas Dias/GP1Sala de fisioterapia do Centro Maria Imaculada
Sala de fisioterapia do Centro Maria Imaculada

“Nós temos uma equipe multidisciplinar. A gente faz atendimento médico, temos setor de enfermagem, dispensações de medicação no setor de farmácia, apoio psicológico, serviço social, laboratório onde fazemos exames específicos para pacientes acometidos pela hanseníase, centro cirúrgico, onde são realizadas algumas pequenas cirurgias, temos a nossa sala de sapataria ortopédica, onde são feitas as adaptações nos calçados dos pacientes, como a palmilhas, talas e férulas. Temos ainda o setor de fisioterapia e terapia ocupacional, onde é feito o atendimento diário de 50 pessoas. Nossa missão é levar a esses pacientes um atendimento de qualidade e que possa amenizar um pouco o sofrimento deles ao descobrir que são acometidas pela doença”, expressou a coordenadora do Centro Maria Imaculada.

Como doar

O Centro Maria Imaculada é uma instituição filantrópica que recebe doações de pessoas físicas e jurídicas. Para doar, basta entrar em contato com a Ação Social Arquidiocesana (ASA) ou com a própria coordenadora da instituição Sara Moura, pelo telefone (86) 99452-8329.

O Centro Maria Imaculada funciona de segunda a sexta, das 8h às 13h e está localizado na Rua Dezenove de Novembro, bairro Real Copagre, zona norte de Teresina.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.