GP1

Teresina - Piauí

Visita de Lula deve atrair mais adesões a Rafael, diz João de Deus

Segundo João de Deus, a vinda de Lula também pode sintonizar o voto da população com Rafael Fonteles.

O presidente do Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores, deputado João de Deus, afirmou nesta quarta-feira (03), durante entrevista ao GP1, que a visita do presidenciável Lula pode atrair mais adesões a candidatura do ex-secretário de Fazenda Rafael Fonteles, que vai disputar o Palácio de Karnak.

De acordo com o parlamentar, a imagem do ex-presidente reforça as candidaturas, tanto a majoritária quanto as proporcionais. “Majoritariamente as lideranças querem estar do lado de quem ganha ou de quem pelo menos está bem perante a população. Frente a isso, então nós acreditamos que a vinda dele [Lula] aqui reforça muito as nossas candidaturas, especialmente do nosso pré-candidato Rafael Fonteles, mas também dos candidatos a deputados federais, deputados estaduais”, declarou à nossa reportagem.

Foto: Lucas Dias/GP1João de Deus
João de Deus

Ainda segundo João de Deus, a vinda de Lula para Teresina também pode sintonizar o voto da população com Rafael Fonteles, repetindo os anos de 2003 a 2014, quando o candidato a governador foi eleito junto com o candidato a Presidência da República.

“A população também é muito sábia, ela quer saber dos problemas da Economia, está em busca por um novo momento que a gente possa viver, que seja de paz, de felicidade, de melhoria das condições de vida, de geração de emprego. É importante você ter aqui um governador sintonizado com o presidente da República, isso foi muito bom em 2003, até 2006, 2010 e 2014, porque nós temos uma sintonia e nesse momento a população está observando quem apoia quem, quem são os candidatos do lado do atual presidente, quem são os candidatos do lado de Lula”, ressaltou o deputado.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.