Fechar
GP1

Teresina - Piauí

Vereadores mantêm veto do prefeito Dr. Pessoa a reajuste para professores

A decisão ocorreu durante sessão plenária realizada nesta quinta-feira (04) na Câmara Municipal.

Lucas Dias/GP1 1 / 14 Quadro da votação no plenário Quadro da votação no plenário
Lucas Dias/GP1 2 / 14 Professores na Câmara Professores na Câmara
Lucas Dias/GP1 3 / 14 Enzo Samuel, presidente da Câmara Municipal Enzo Samuel, presidente da Câmara Municipal
Lucas Dias/GP1 4 / 14 Vereador Leonardo Eulálio votou pela manutenção do veto Vereador Leonardo Eulálio votou pela manutenção do veto
Lucas Dias/GP1 5 / 14 Antônio José Lira Antônio José Lira
Lucas Dias/GP1 6 / 14 Vereador Capitão Roberval Queiroz Vereador Capitão Roberval Queiroz
Lucas Dias/GP1 7 / 14 Vereador Deolindo Moura foi contra manutenção do veto Vereador Deolindo Moura foi contra manutenção do veto
Lucas Dias/GP1 8 / 14 Professore lotaram a Câmara Municipal Professore lotaram a Câmara Municipal
Lucas Dias/GP1 9 / 14 Votação do veto ao reajuste Votação do veto ao reajuste
Lucas Dias/GP1 10 / 14 Vereadores mantiveram veto ao reajuste dos professores Vereadores mantiveram veto ao reajuste dos professores
Lucas Dias/GP1 11 / 14 Câmara Municipal de Teresina Câmara Municipal de Teresina
Lucas Dias/GP1 12 / 14 Plenário da Câmara Municipal lotado Plenário da Câmara Municipal lotado
Lucas Dias/GP1 13 / 14 Greve dos professores continua Greve dos professores continua
Lucas Dias/GP1 14 / 14 Categoria está em greve Categoria está em greve

A maioria dos vereadores decidiu manter o veto da Prefeitura de Teresina ao reajuste de 20,08% aos professores, psicólogos e psicopedagogos do município de Teresina. A Câmara Municipal não conseguiu votos suficientes para derrubar o veto ao percentual aprovado na semana passada. Dessa forma, fica mantido os 5% de reajuste propostos inicialmente pela Prefeitura de Teresina.

Dos 29 vereadores, 12 votaram pela manutenção do veto e 9 pela derrubada do veto.

Foto: Lucas Dias/GP1Quadro da votação no plenário
Quadro da votação no plenário

O percentual deve vigorar a partir da publicação no Diário Oficial do Município. O presidente da Câmara, vereador Enzo Samuel (PDT), disse que cada vereador tem autonomia para votar em plenário e ressaltou que espera uma resolução do impasse. “Eu sempre defendi a valorização da categoria dos professores, que são grandes agentes de transformação da nossa sociedade. Agora, cada vereador tem autonomia de votação dentro do plenário. Torço para que possa chegar a um acordo e resolver esse problema e greve possa encerrar”, disse.


O ex-vereador e ex-líder do prefeito Dr. Pessoa, Antônio José Lira (Avante), afirmou que alguns vereadores politizaram a matéria para tirar proveito e, desta forma, acabaram prejudicando a classe. Lira disse que o prefeito foi injustiçado, visto que, na avaliação do ex-vereador, ele é o gestor que mais falou em favor dos servidores.

“O legislativo não pode gerar despesas para o executivo, é vício de iniciativa. Então, o resultado de hoje foi daqueles que querem o melhor para o professor. Não é pegar matérias de interesse da sociedade e fazer política. Foi assim que o professor foi prejudicado fazendo política. Algumas emendas que foram colocadas foram politizadas e quem perdeu foi o servidor público. Uma injustiça com o prefeito Dr. Pessoa, pois nunca na história de Teresina, tivermos um prefeito que tratou tão bem o servidor com equiparações salariais”, pontuou Lira.

“Oposição se apequenou”

O vereador Deolindo Moura (PT), autor da emenda que elevou o valor do reajuste de 5% para 20,8%, também se manifestou. Ele disse que a oposição ao Palácio da Cidade se apequenou e que alguns parlamentares cometeram um ato irresponsável em desfavor da categoria dos professores. “Quando a oposição se apequena perante a uma injustiça como essa, mostra o nível parlamentar que cada um é. Eu jamais votarei contra algo que assinei e votei favorável. O fato é que cada um vai assumir aquilo que votou. Eu acho que foi um ato irresponsável de alguém que assinou um Projeto de Lei e que agora votou favorável, por algum motivo, a Prefeitura de Teresina”, ressaltou Deolindo Moura.

Vereadores que votaram pela manutenção do veto:

Alan Brandão (PRD)

Bruno Vilarinho (PRD)

Capitão Roberval Queiroz (União Brasil)

Leonardo Eulálio (PL)

Elzuila Calisto (PT)

Graça Amorim (PRD)

Levino de Jesus (PRD)

Luís André (União Brasil)

Markim Costa (PRD)

Neto do Angelim (Republicanos)

Teresinha Medeiros (União Brasil)

Venâncio Cardoso (PT)

Vereadores que votaram pela derrubada do veto:

Deolindo Moura (PT)

Dudu (PT)

Evandro Hidd (PDT)

Fernanda Gomes (Solidariedade)

Ismael Silva (Progressistas)

Luiz Lobão (MDB)

Paulo Lopes (PSDB)

Pollyanna Rocha (PT)

Zé Nito (MDB)

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2024 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.