GP1

Piauí

Governo do Piauí critica operação e diz que houve 'abuso de autoridade'

"O processo investiga empresas e servidores, a quem cabe o legítimo direito de defesa. O Estado é parte interessada no processo e sempre agiu de forma colaborativa", informou o governo.

O Governo do Piauí divulgou nota de esclarecimento após a deflagração da “Operação Satélites” pela Polícia Federal, nesta quarta-feira (25), onde foram cumpridos mandados de busca e apreensão no Palácio de Karnark, Secretaria Estadual de Educação, na Secretaria Estadual de Infraestrutura (Seinfra) e na empresa LC Veículos. O Governo classificou a ação da PF como "espetáculo" e disse que houve abuso de autoridade.

A operação é uma continuidade da “Operação Topique” e investiga empresas e agentes públicos suspeitos de fraude em licitações relacionadas ao transporte escolar.

Na nota, o Governo do Piauí afirmou que não há investigação contra o Estado e que são empresas e servidores públicos que estão sendo investigados. Destacou ainda que está colaborando com a investigação.

  • Foto: Brunno Suênio/GP1Viatura da Polícia Federal no Palácio de KarnakViatura da Polícia Federal no Palácio de Karnak

“Não há investigação contra o Estado. O processo investiga empresas e servidores, a quem cabe o legítimo direito de defesa. O Estado é parte interessada no processo e sempre agiu de forma colaborativa, fornecendo todos os documentos, dados e informações solicitadas. Nada do que foi entregue na operação deixaria de ser entregue bastando comparecer e requisitar”, afirmou.

O Governo ainda criticou a forma como a operação foi deflagrada, com ampla repercussão e em locais que não seriam alvos de investigação. Afirmou ainda que a ação pode se enquadrar em "claro abuso de autoridade".

“Mais uma vez lamentamos o caminho do espetáculo. A operação de busca e apreensão realizada pela polícia no interior de repartições públicas que não são objeto da investigação, com cobertura midiática ao vivo, atenta contra o Estado de Direito, pilar da Constituição Federal, podendo caracterizar claro abuso de autoridade”, criticou.

Confira a nota na íntegra:

A respeito da operação da Polícia Federal deflagrada nesta manhã (25), o Governo do Estado informa que NÃO HÁ INVESTIGAÇÃO CONTRA O ESTADO. O processo investiga empresas e servidores, a quem cabe o legítimo direito de defesa.

O Estado é parte interessada no processo e sempre agiu de forma colaborativa, fornecendo todos os documentos, dados e informações solicitadas. Nada do que foi entregue na operação deixaria de ser entregue bastando comparecer e requisitar.

Mais uma vez lamentamos o caminho do espetáculo. A operação de busca e apreensão realizada pela polícia no interior de repartições públicas que não são objeto da investigação, com cobertura midiática ao vivo, atenta contra o Estado de Direito, pilar da Constituição Federal, podendo caracterizar claro abuso de autoridade.

O Governo do Estado reafirma seu compromisso com a transparência e continuará repassando documentos e informações solicitadas e, mais que qualquer outro, tem interesse na elucidação dos fatos, porém com respeito à lei.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Operação Satélites: PF apreende documentos na sede da Seinfra

PF apura desvio de R$ 50 milhões em dois contratos da Seduc-PI

Polícia Federal cumpre mandados no Palácio de Karnak

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.