GP1

Piauí

Tribunal de Justiça do Piauí fica em último lugar em prêmio do CNJ

Na categoria Justiça do Trabalho, o Tribunal Regional do Trabalho da 22ª Região (TRT-PI) recebeu o prêmio ouro, com pontuação de 81,8%.

O Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) ficou em último lugar, entre todas as justiças estaduais, na segunda edição do Prêmio CNJ de Qualidade, anunciado na última sexta-feira (27) durante o XIV Encontro Nacional do Poder Judiciário. Com pontuação de 43,8%, a Justiça piauiense ficou sem prêmio.

Clique aqui e confira o resultado

O desempenho dos órgãos da Justiça foi avaliado seguindo os critérios sistematizados em quatro eixos temáticos – Governança; Produtividade; Transparência; e Dados e Tecnologia –, uma das inovações em relação à edição anterior, que continha apenas três categorias.

Os critérios de avaliação dos tribunais foram aperfeiçoados e adequados à realidade do país, inclusive sendo considerada a situação emergencial com o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus.

Os tribunais que alcançaram melhor colocação entre aqueles do mesmo ramo foram reconhecidos pelo Prêmio CNJ de Qualidade nas categorias “Diamante”, “Ouro” e “Prata”.

Justiça do Trabalho

Na categoria Justiça do Trabalho, o Tribunal Regional do Trabalho da 22ª Região (TRT-PI) recebeu o prêmio ouro, com pontuação de 81,8%, tendo ficado na 5º posição entre todas as 24.

Justiça Eleitoral

O Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI) também ficou sem prêmio. Ele ocupou a 22ª posição com pontuação de 65,64%, ficando à frente apenas do Amapá, Amazonas, Rondônia, Maranhão e Roraima.

Todos os tribunais participam da premiação, incluindo os superiores, os 27 Tribunais de Justiça (TJs), os cinco Tribunais Regionais Federais (TRFs), os 24 Tribunais Regionais do Trabalho (TRTs), os 27 Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) e os três Tribunais de Justiça Militar (TJMs) dos estados.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.