GP1

Piauí

Coren-PI abre processo disciplinar contra enfermeiro acusado de estupro

Na nota, o Coren afirmou que repudia e se junta a todos que pedem justiça, no entanto, destacou que o fato ocorrido não pode ser atrelado à Enfermagem.

O Conselho Regional de Enfermagem do Piauí (Coren-PI) divulgou, nesta terça-feira (01), nota informando que foi aberto processo ético disciplinar contra o enfermeiro R. da S. P, acusado de dopar e estuprar a própria cunhada dentro de um apartamento do Hospital São Marcos, no dia 31 de outubro de 2020.

Na nota, o Coren afirmou que repudia e se junta a todos que pedem justiça, no entanto, destacou que o fato ocorrido não pode ser atrelado à Enfermagem “que é composta por pessoas que trabalham diuturnamente em prol do bem-estar e qualidade de vida da população e que atuam com base nos princípios éticos e legais”.

“O responsável pela prática do suposto crime terá instaurado o devido processo ético disciplinar, sendo descabida qualquer associação, direta ou indiretamente aos mais de 30 mil profissionais de Enfermagem do Piauí por fatos como esse”, garantiu.

Entenda o caso

O enfermeiro R. da S. P está sendo investigado pela Polícia Civil do Piauí, sob acusação de ter estuprado a própria cunhada, que acompanhava um paciente em um apartamento no Hospital São Marcos.

Um familiar revelou ao GP1 que a vítima havia acompanhado seu sogro no hospital no dia anterior ao crime e tinha ido para casa descansar, deixando outra pessoa no apartamento. Porém, a empresária recebeu uma ligação do enfermeiro, relatando que o paciente não poderia ficar aos cuidados de alguém sem experiência e requisitou que ela retornasse ao hospital e ficasse com o sogro.

Ao retornar, o enfermeiro teria oferecido um remédio para a vítima, que tomou a medicação e acabou adormecendo. Cerca de seis horas depois ela acordou com fortes dores na região genitália e assim começou a suspeitar que tinha sido vítima de violência sexual. Ela registrou um Boletim de Ocorrência, fez exame de corpo de delito e depois de ser submetida a outro exame na Maternidade Dona Evangelina Rosa foi comprovado o estupro.

Exame constatou sêmen do acusado na vítima

A delegada Vilma Alves, responsável pelo inquérito que investiga o crime, disse em entrevista ao GP1 na quinta-feira (19) que há elementos suficientes que comprovam o estupro, inclusive, a constatação, através de laudo, da presença de sêmen do acusado na vítima.

“Nenhum crime de estupro ou de violência contra a mulher pode ficar impune. O exame é robusto, aprovou o material científico do fato. A prova material é o exame de corpo delito, que já foi feito, e a prova se torna mais fortalecida porque tem a presença do sêmen”, declarou.

Acusado ainda emitiu atestados médicos e se internou no Areolino de Abreu depois de a família ter tomado conhecimento do caso.

Hospital São Marcos repudiou o ocorrido

O Hospital São Marcos emitiu uma nota na quinta-feira (19), informando que está à disposição da Justiça para colaborar com as investigações. “O hospital repudia qualquer tipo de violência contra mulheres, menores, incapazes, idosos e quaisquer outros vulneráveis”, diz um trecho.

Leia a nota do São Marcos na íntegra:

O Hospital São Marcos, após tomar conhecimento de grave denúncia através da imprensa, esclarece ao público que não existe a prática de administração de quaisquer medicamentos para acompanhantes de pacientes. Caso isso tenha ocorrido, foi a partir de uma situação específica, relação pessoal de confiança que havia entre a vítima e o suposto agressor. O hospital repudia qualquer tipo de violência contra mulheres, menores, incapazes, idosos e quaisquer outros vulneráveis, está à disposição da Justiça e tomará as providencias cabíveis de maneira rigorosa, nos termos da Lei.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Delegada Vilma Alves pede prisão de enfermeiro acusado de estupro

Enfermeiro acusado de estuprar cunhada se internou no Areolino de Abreu

Enfermeiro é acusado de estuprar a cunhada no Hospital São Marcos

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.