GP1

Piauí

Vereador está entre os presos pela Polícia Federal na Operação Bússola

Também foi preso o pai dele, que ex-vice-prefeito do Município de Santo Antônio dos Milagres.

Um dos presos na Operação Bússola deflagrada pela Polícia Federal nesta terça-feira (09) é o vereador de Santo Antônio dos Milagres, Rodinei Araújo Santos. Também foi preso o pai dele, Roseno Pereira de Araújo, ex-vice-prefeito de Santo Antônio dos Milagres.

De acordo com a Polícia Federal, Rodinei e Roseno atuavam como intermediários responsáveis por captar clientes e protocolar requerimentos de benefícios de aposentadoria por idade rural com documentação falsa.

Foto: Reprodução/WhatsappRodinei Araújo Santos
Rodinei Araújo Santos

Consta ainda que a participação de pai e filho na atividade criminosa ficou demonstrada a partir dos seguintes indícios: protocolo de 11 requerimentos de benefícios de aposentadoria rural por idade concedidos por servidor do grupo criminoso, dos quais 9 horas foram comprovadamente concedidos de forma fraudulenta, além de diálogos decorrentes de interceptação telefônica.

Operação Bússola

Deflagrada nesta terça-feira (09) pela Polícia Federal, a Operação Bússola cumpriu 96 mandados judiciais, sendo 16 mandados de prisão preventiva, 23 de prisão temporária e 57 mandados de busca e apreensão. Os mandados foram cumpridos em Teresina/PI, Luzilândia/PI, Demerval Lobão/PI, Santo Antônio dos Milagres/PI, Timon/MA, Caxias/MA, Presidente Dutra/MA, Parnarama/MA, Codó/MA, Anapurus/MA e São João do Sóter/MA, todos expedidos pelo Juízo da 1ª Vara Federal de Teresina.

Entre os investigados com prisão decretada estão oito servidores do INSS, 17 advogados e 14 intermediários dos estados do Piauí e Maranhão.

Rombo no INSS

Ainda de acordo com a Polícia Federal, a organização criminosa teria causado um prejuízo efetivo de aproximadamente R$ 55,8 milhões ao INSS no Piauí.

Foram constatados 1.975 benefícios de aposentadoria por idade rural fraudados que já foram sacados. Além disso, foram suspensos 160 benefícios concedidos a pessoas fictícias (existentes apenas no papel) e a imediata revisão de 1.975 benefícios com indícios de fraude, medida que irá evitar um prejuízo estimado em R$ 623 milhões em fraudes da organização criminosa.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.