GP1

Piauí

Câmara discute proposta para finalizar greve dos motoristas em Teresina

De acordo com o vereador Dudu, a proposta é que a prefeitura repasse R$ 1,5 milhão para garantir o pagamento dos salários atrasados dos trabalhadores.

A audiência pública, realizada na Câmara de Vereadores de Teresina, nesta terça-feira (23), a fim de discutir a situação do transporte público na Capital, terminou com um acordo para que a Prefeitura de Teresina possa transferir R$ 1,5 milhão aos motoristas e cobradores que estão em greve há duas semanas.

De acordo com vereador Edilberto Borges, o Dudu (PT), a proposta é que o dinheiro seja repassado diretamente aos trabalhadores, sob a tutela do Ministério Público que ficará responsável por garantir a lisura no processo.

Foto: Lucas Dias/GP1Dudu discursa no plenário da Câmara Municipal de Teresina
Dudu discursa no plenário da Câmara Municipal de Teresina

“O encaminhamento que se deu foi que a prefeitura está fazendo a proposta de repassar a quantia de um milhão e meio de reais. Eu fiz a sugestão que esse dinheiro possa ser acompanhado pelo Ministério Púbico do Estado e pelo Ministério do Trabalho, também, pago da seguinte forma: se pega o extrato das contas dos trabalhadores, deposita e o restante dá para o Setut, mas direto para os trabalhadores, para não haver desvio de finalidade até resolver em definitivo. O Setut, através do Marcelino, sinalizou que tem possibilidade”, destacou.

Em contrapartida, Dudu reforçou a necessidade de os motoristas e cobradores retornarem aos postos de trabalho, pondo fim a greve, e continuar as discussões sobre o dissídio coletivo em outro momento. “Fizemos o apelo para os trabalhadores não discutirem a questão de dissídio coletivo, se ater essa proposta, voltarem aos trabalhos e depois continuar a pauta de negociação deles na procuradoria do Trabalho, mas que cedesses”, pontuou.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.