GP1

Piauí

Senatepi vai recorrer da decisão que decretou ilegal greve dos enfermeiros

Em entrevista ao GP1, o presidente do Senatepi, Erik Riccely, afirmou que embora com a decisão judicial, muitos trabalhadores ainda não têm condições de trabalhar.

Sindicato dos Enfermeiros, Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do Estado do Piauí - SENATEPI – vai recorrer da decisão que decretou ilegalidade no movimento paredista que seria iniciado nesta sexta-feira (05), por meio da paralisação dos trabalhadores vinculados a Fundação Municipal de Saúde de Teresina, que se estenderia até a próxima segunda-feira (08).

Em entrevista ao GP1, o presidente do Senatepi, Erik Riccely, afirmou que embora com a decisão judicial, muitos trabalhadores ainda não terão condições de trabalhar por falta de dinheiro.

Foto: Alef Leão/GP1Erick Riccely, presidente do Senatepi
Erick Riccely, presidente do Senatepi

“Nós suspendemos a paralisação, mas em compensação os hospitais não estão com a quantidade total de profissionais porque eles não conseguiram ir trabalhar, pois não têm dinheiro para trabalhar. O trabalhador não tem condições de chegar ao hospital, porque não tem condições de pagar um Uber e estamos no meio de uma greve dos ônibus”, pontuou.

Erik Riccely afirmou que vai entrar com um agravo de instrumento e tentar reverter a situação dos profissionais, que tiveram reduções no contracheque. “O desembargador deveria ter chamado a responsabilidade para a Justiça, pedindo que o sindicato apresentasse os contracheques, mas não o fez. Ele deveria ter aberto um dissídio. É por isso que nós vamos agravar hoje essa decisão, porque a Justiça piorou a situação, pois além da falta de profissional por falta de dinheiro a população continua sem assistência”, disse o presidente do Senatepi.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.