GP1

Piauí

Wellington Dias quer implantar classificação de risco nos presídios

A demanda foi discutida durante reunião do governador do Piauí com a Sejus e o Tribunal de Justiça.

O governador Wellington Dias (PT) discutiu mudanças para aperfeiçoar o sistema prisional nesta quinta-feira (24), durante reunião com o presidente do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI), José Ribamar Oliveira e o secretário de Justiça, Carlos Edilson. A principal ideia abordada é classificar o risco dos detentos.

De acordo com o chefe do Palácio de Karnak, o Governo do Piauí quer seguir exemplos de outros locais, que tratam o sistema prisional separando os detentos por classificação de risco.

Foto: Lucas Dias/GP1Wellington Dias
Wellington Dias

“Temos, de um lado, o crime organizado e, do outro, crimes intermediários e de baixo risco, que precisam estar separados. Queremos uma pactuação entre os poderes para que possamos implementar o sistema de classificação por risco, que dá resultados em diversas regiões do mundo”, argumentou o governador do Piauí.

Criação de mais presídios

O presidente do TJPI, desembargador José Ribamar, pontuou a necessidade de mais vagas em presídios por acreditar no princípio dos Direitos Humanos. Segundo o magistrado, o Piauí precisa de mais penitenciárias para atender a uma reforma no sistema prisional.

“Existe um programa de desenvolvimento da ONU para a garantia dos Diretos Humanos e isso passa pelas vagas nos presídios. Quando as vagas inexistem, aumenta a concentração de detentos, o que viola, em tese, os Direitos Humanos e a dignidade da pessoa. O Piauí e o Brasil todo precisam de mais vagas em presídios. O governador já se debruçou sobre essa questão, já esteve em Brasília tratando sobre a problemática e viemos acompanhar o trabalho para a liberação de verbas para a construção de mais presídios”, disse o desembargador.

Foto: Lucas Dias/GP1Desembargador José Ribamar Oliveira Presidente do TJ
Desembargador José Ribamar Oliveira Presidente do TJ

Forças de Segurança

Ainda segundo o Dias, o Piauí vai criar uma Força Integrada de Segurança, com o objetivo de atuar mais incisivamente contra a criminalidade e também os Estados seguem com o planejamento de elaborar a Força Nordeste e Força Brasil, para se ter um plano de segurança em todo o país. “Estamos ainda criando a Força Integrada de Segurança do Piauí e os próximos passos devem ser a Força Nordeste e a Força Brasil, para que possamos ter um plano estratégico para reduzir a violência em todo o país”, afirmou Wellington Dias.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.