GP1

Polícia

Acusado de ser mentor da morte de empresário em Picos é preso na BA

O crime foi praticado em 28 de dezembro de 2019, dentro de uma granja, onde a vítima era dono.

Um homem acusado de ser o mentor do roubo que terminou com a morte do empresário Edilson Gonçalo de Oliveira, em Picos, foi preso na tarde desta sexta-feira (16), na cidade de Juazeiro, no estado da Bahia. O crime foi praticado em 28 de dezembro de 2019, dentro da granja onde Edilson era proprietário.

Em entrevista ao GP1, o delegado Agenor, titular da Delegacia de Combate ao Homicídio, Tráfico de Drogas e Latrocínio – DHTL de Picos, contou que acusado é ex-funcionário do empresário assassinado. No total, três pessoas participaram do crime.

“As investigações apontam que foi ele que organizou, ou seja, é o mandante do latrocínio. Ele é ex-funcionário do empresário e foi preso em Juazeiro, na Bahia. Outras duas pessoas também já foram presas por participação nesse latrocínio [roubo seguido de morte]”, informou o delegado.

Ainda de acordo com o delegado, a prisão foi realizada após uma ação integrada da Polícia Civil do Piauí, Diretoria de Inteligência do Piauí, e Polícia Civil de Pernambuco, através da DIT-II.

O acusado vai ser recambiado para o sistema penitenciário do Piauí, onde os outros dois acusados já estão presos.

Entenda o caso

De acordo com a perícia criminal, era por volta de 14h, quando os suspeitos chegaram na Granja Edilson, anunciaram o assalto e renderam os funcionários do local. Edilson Gonçalo acabou reagindo à ação criminosa e foi atingido com dois tiros, que acertaram a boca e abdômen da vítima.

“Ele ainda foi socorrido para o Hospital Justino Luz, mas não resistiu. O médico legista foi acionado e vai fazer o exame cadavérico no corpo. A princípio não é possível dizer qual tipo de arma foi usada no crime”, relatou o perito criminal Daniel.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.