GP1

Polícia

Suspeitos de assalto a Banco do Brasil em Curimatá são mortos

Os criminosos avistaram uma barreira policial e entraram em confronto com a Polícia Militar.

Um confronto entre policiais militares do Mato Grosso e criminosos nesta segunda-feira (21) deixou dois assaltantes de banco mortos na cidade de Nova Bandeirantes, distante 980 km de Cuiabá. Os criminosos são integrantes de uma quadrilha que também é acusada da explosão da agência do Banco do Brasil de Curimatá, ocorrida no ano de 2016. Os dois foram identificados como Adailton Santos da Silva e Diego Almeida Costa.

De acordo com a Polícia Militar do Mato Grosso, os criminosos avistaram uma barreira policial durante a madrugada e entraram em confronto direto com os policiais da Força Tática do 9º Comando Regional. A ação desta segunda faz parte das buscas aos responsáveis pelo roubo de duas agências bancárias na cidade, que ocorreram no dia 4 desse mês.

Foto: Divulgação/PM-MTMaterial apreendido pela Polícia Militar do Mato Grosso
Material apreendido pela Polícia Militar do Mato Grosso

Na ocasião, a PM recuperou com os suspeitos R$ 43.451,75 de dinheiro, um revólver .38, uma espingarda calibre 12, roupas camufladas, coturnos, luvas, celulares e bateria externa de celular.

No dia 10 desse mês, houve o primeiro confronto durante as buscas pelos criminosos, onde quatro suspeitos do assalto as agências bancárias também morreram em confronto com a polícia. Nessa ação, mais de R$ 100 mil foram recuperados.

Explosão do Banco do Brasil de Curimatá em 2016

No dia 5 de maio de 2016, uma quadrilha interestadual explodiu a agência do Banco do Brasil de Curimatá, região Sul do Piauí. Durante o confronto com a polícia, dois criminosos acabaram mortos e outras duas pessoas também foram presasem flagrante acusadas de atuarem dando apoio à quadrilha.

Durante a fuga, oito homens divididos em dois grupos levaram duas pessoas como reféns, mas as liberaram logo depois.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.