GP1

Política

Processo que pede a cassação do governador Wilson Martins esta na fase de alegações finais

A fase probatória está encerrada, segundo despacho do desembargador Haroldo Rehem, relator da Ação.

Imagem: FGoto: Diário do PovoClique para ampliarDesembargador Haroldo Rehem(Imagem:FGoto: Diário do Povo)Desembargador Haroldo Rehem
A AIJE – Ação de Investigação Judicial Eleitoral – de nº 347775.2010.618.0000 que pede a cassação do mandato do Governador Wilson Martins pela pratica de conduta vedada e abuso do poder político e econômico esta na fase de alegações finais.

A ação investiga o apoio do Prefeito de Teresina, Elmano Férrer, a reeleição do governador, que é acusado de firmar convênios em troca de apoio político.

As informações requisitadas a Caixa Econômica Federal referentes aos repasses de recursos no ano de 2010, com a indicação dos valores e das datas e cronograma de desembolso a Prefeitura de Teresina referentes aos projetos do PAC-2 já foram recebidas pelo TRE.

A fase probatória está encerrada, segundo despacho do desembargador Haroldo Rehem, relator da Ação. Após o recebimento das alegações finais, os autos serão enviados para a Procuradoria Regional Eleitoral para manifestação.

Entrevista

O prefeito de Teresina, Elmano Férrer, concedeu, à época, uma entrevista ao Jornalista Toni Rodrigues, da Teresina FM, aonde teria dito que a decisão de apoiar Wilson Martins foi tomada em virtude da intermediação do então Ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, em troca de liberação de recursos para a construção de obras de infra-estrutura em Teresina. Disse que Padilha faria a intermediação para liberar dinheiro na ordem de R$ 108 milhões para a realização de obras de drenagem, alargamento de rodovias na área urbana da capital e melhoria habitacional para bairros Vila da Paz, Alto da Ressurreição e Frei Damião.
Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.