GP1

Política

Marcelo Castro afirma que PMDB vai apoiar reeleição de Wellington

"Levei esse convite ao PMDB e praticamente por unanimidade, todos aceitaram participar do governo e na condição de que participando do governo, votaríamos no Wellington", disse.

Em entrevista ao GP1, o presidente estadual do PMDB no Piauí, o deputado federal Marcelo Castro, afirmou que a decisão do partido de entrar oficialmente no governo de Wellington Dias, significa que o PMDB está fechado para apoiar a reeleição do governador no ano de 2018.

Nesta segunda-feira (06), Wellington Dias (PT) vai empossar Zé Santana na Secretaria de Estado da Assistência Social e Cidadania (Sasc), onde atualmente está no cargo o deputado Henrique Rebelo (PT). O filho de Marcelo Castro, o Castro Neto vai assumir o Departamento de Estradas de Rodagem do Piauí (DER-PI), que atualmente é ocupado pelo tio do governador, José Dias. O advogado Leonardo Sobral irá para a Diretoria do Programa de Combate à Pobreza Rural (PCPR) e o deputado Pablo Santos para a Fundação Estatal Piauiense de Serviços Hospitalares (FEPISERH), só que eles assumem somente após a aprovação na Assembleia Legislativa dos projetos de lei criando os órgãos .

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1 Marcelo CastroMarcelo Castro

“O PMDB atendeu a um convite do governador Wellington Dias que já vinha de alguns meses para participar formalmente do seu governo e está tudo acertado para acontecer amanhã. Nós teremos uma participação no governo na Fundação Estadual de Saúde, na Secretaria de Assistência Social, no DER e no PCPR, então é essa a participação no governo de Wellington Dias. Então vejo isso como um processo normal, natural, pois o PMDB e o governador Wellington Dias estão juntos no estado do Piauí desde 2002”, afirmou.

Apesar da situação nacional envolvendo o PT e o PMDB, o parlamentar acredita que a população entende esse tipo de aliança, pois ela já ocorreu várias vezes no estado. “Em 2002 votamos no Wellington Dias para governador e no Lula para presidente da república. Em 2006 a mesma coisa e em 2010 votamos no Wellington para senador e na Dilma para a presidência da república. Em 2014 foi a única oportunidade em que nós não estivemos juntos, exatamente porque o PMDB teve candidatura própria, que foi a do Zé Filho. Então agora, a convite do governador, as coisas voltam ao leito normal. Essa união em favor do Piauí, pensando no melhor para o nosso Estado”, disse.

Ela ainda confirmou que quando o partido fechou acordo para assumir cargos no governo, significa que irá apoiar Wellington em 2017. “Quando o governador nos convidou, eu levei esse convite ao PMDB e praticamente por unanimidade, todos aceitaram participar do governo e na condição de que participando do governo, votaríamos no Wellington Dias para governador em 2018, pois não teria nenhum sentido, não vejo lógica nisso e nem é eticamente defensável, que você entre em um governo em 2017 e em 2018 vá tomar outra posição, a não ser que fatores supervenientes, que não possamos prever agora, venham acontecer”, revelou.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.