GP1

Saúde

Brasil recebe 4 milhões de doses por meio do consórcio Covax

É a segunda e maior remessa enviada até agora por meio da iniciativa da OMS.
Por Estadão Conteúdo

Chegaram ao Brasil, entre sábado e domingo, mais 4 milhões de doses prontas da vacina de Oxford/AstraZeneca fornecidas por meio do consórcio Covax Facility, iniciativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a distribuição global de imunizantes contra a covid-19. Foram 220,8 mil doses recebidas no sábado, 1º, e mais 3,8 milhões desembarcadas neste domingo, 2, no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.

É a segunda e maior remessa enviada até agora por meio do consórcio. No final de março, o País recebeu 1 milhão de doses. Embora o Covax trabalhe com vacinas de diversos fabricantes, todas as doses enviadas até agora ao Brasil foram de produtos de Oxford/AstraZeneca produzidos em uma fábrica da farmacêutica na Coreia do Sul.

Parte desse quantitativo estava atrasado. A previsão para a entrega de março era de 2,9 milhões de doses, mas só um terço desse volume foi enviado.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e a representante da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) no Brasil, Socorro Gross, estiveram no aeroporto para receber as vacinas. "Já devíamos ter recebido essas doses desde janeiro. Todavia, em função das dificuldades com vacinas em todo o mundo, só estamos recebendo agora", disse o ministro, em pronunciamento após a chegada das vacinas.

Ao lado de representante da Unicef, Queiroga defendeu a volta às aulas. "Um tema importante é o retorno às atividades letivas. É fundamental que os alunos voltem às aulas não só para aprender, mas também nas aulas eles recebem alimentos", declarou.

Outras 4,8 milhões de doses do Covax são esperadas para este mês: 4 milhões do imunizante de Oxford/AstraZeneca e 842,4 mil doses da vacina da Pfizer/BioNTech. Até o final do ano, a parceria com a OMS prevê a entrega de 42,5 milhões de vacinas ao País.

O Brasil também tem contrato para 100 milhões de doses da Pfizer firmado diretamente com o laboratório. A primeira remessa, com 1 milhão de unidades, chegou na última quinta-feira e começará a ser distribuída aos Estados hoje.

Na próxima quinta, o Instituto Butantan deve entregar outro 1 milhão de doses da Coronavac. Elas são esperadas principalmente por municípios que tiveram que interromper a oferta da segunda aplicação por atraso na entrega.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.