Polícia

PF investiga fraudes em programa de alfabetização no Piauí

"Não tem como esse programa trazer dano ao erário", rebateu Ellen Gera.

Um escândalo na educação estadual, que envolve fraudes, falsidade ideológica e corrupção, com a finalidade de desviar recursos públicos que podem chegar ao montante de R$ 340 milhões, oriundos do precatório do Fundef. O PRO AJA - Programa de Alfabetização de Jovens, Adultos e Idosos que destina recursos para empresas e instituições conveniadas ao Governo do Estado do Piauí, entrou na mira da Polícia Federal, do Tribunal de Contas do Estado do Piauí, assim como do Ministério Público Estadual e Federal, pois foram encontradas várias irregularidades que causaram prejuízos aos cofres públicos.

A TV GP1 conversou com o deputado estadual Júlio Arcoverde, que foi um deputados que apresentou o relatório preliminar que o TCE produziu, na Alepi. O secretário de educação do Piauí Ellen Gera se manifestou e respondeu aos questionamentos sobre a execução do PRO AJA. Por sua vez, o promotor de Justiça, Chico de Jesus, rebateu as declarações do secretário de educação.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook

 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.