Blog Opinião
GP1

Paulinho sem compaixão


*Zé da Cruz
Imagem: Divulgação / GP1Zé da Cruz poeta e liderança comunitária(Imagem:Divulgação / GP1)Zé da Cruz poeta e liderança comunitária

É com muito pesar que vejo as notícias envolvendo o cantor brega romântico Paulinho Paixão. Primeiro por ele se envolver com menor de idade no auge da briga contra a pedofilia; segundo por bater em mulher, aliás, espancar, que é por si só um ato de covardia. Um crime que quem pratica tem que prestar contas à lei Maria da Penha que aqui quem faz cumprir é a doutora Vilma Alves, e com certeza ela “te acha, te acha”.

Fico imaginando um cara que tá começando a crescer e a fazer sucesso dar uma mancada dessa, digo isso porque era fã dele, e já fui a três de seus shows. Mesmo com opinião contrária de algumas pessoas que dizem ser música de baixo nível, não tô nem aí e curto assim mesmo regado a uma gelada e uma carnezinha na brasa. Depois ele é da terrinha e eu sou muito barrista valorizo as pratas da casa. Mas vamos ao que interessa: ontem pela manhã logo no meu desjejum foi surpreendido com a notícia de que o Paulinho sem Compaixão tinha espancado a sua namorada, e que a mesma estava internada em um dos leitos do HUT, enquanto o agressor estava detido em uma delegacia do centro da cidade. Ao prestar esclarecimentos ele disse que tinha freado o carro bruscamente e que a jovem havia batido a cabeça no painel.

Liberado logo depois do depoimento, o agressor saiu da delegacia pela porta da frente ‘espalitando’ os dentes. Hoje tive a oportunidade de verificar pela imprensa através de uma matéria feita por uma jornalista competente, séria e investigativa que descobriu outra versão ao entrevistar parentes da adolescente que afirmaram categoricamente que a menor havia sido coagida a assinar um termo livrando o meliante, e mais, de acordo com uma das tias da jovem essa já seria a quarta vez que ela era espancada pelo cantor. A tia revelou ainda que a família tinha medo de represálias por parte do dito cujo. E num é que o “bicho”, mesmo daquele tamanhinho é valente!! Pelo menos pra mulher.

Acompanhada de um conselheiro tutelar e de uma tia, a garota foi à Delegacia do Menor Vítima registrar os fatos como manda o figurino. Antes mesmo de terminar o Programa que veiculou a matéria com a nova versão, o Delegado Geral da Policia Civil, mais rápido que o trem bala, foi justificar o fato da menor ter assinado um termo na delegacia dizendo não ter sido agredida. Segundo o delegado, foi tudo absolutamente normal, pois a avó da garota, o agressor e seu advogado estavam presentes. Ao ser questionado pelo apresentador, o tal delegado tentou fazer a defesa do indefensável. A emenda saiu pior que a encomenda, fazendo com que ele parecesse um advogado em uma causa perdida.

Se isso realmente aconteceu naquela especializada, o Delegado Geral deverá, no mínimo, instaurar uma sindicância para investigar porque houve tanto “frouxura” e descobrir por que não ficaram “coladinho, coladinho” no cantor, deixando ele dá no pé. O Ministério Público tem que investigar tanto esse episódio da assinatura do termo de negativa da agressão como o espancamento que deixou marcas visíveis a olho nu nessa jovem de família humilde que não tem quem fale por ela. Não podemos deixar o agressor impune nem a garota sem amparo.

Esse episódio faz lembrar a frase antiga de um cronista esportivo piauiense que costumava dizer: “é uma lástima Deoclécio!”. Com relação ao cantor e compositor quero aqui dizer que a partir de agora ele não pega mais num tostão meu, nem em show nem na compra de CD. Com certeza muita gente vai começar a debandar pra outros cantores que não sejam só farsa, que fingem cantar o amor e distribuem o ódio em especial contra a mulher que eternizam em suas músicas. Precisamos de punição para esses modelos que são exemplos pra muita gente para que não fique no imaginário do povo que bater em mulher seja uma coisa absolutamente normal. Isso vale para empresários, deputados, sindicalistas, banqueiros, para o diabo a quatorze e principalmente cantores chinfrins que pra mim não valem um cibazol. Cantores que são só garganta e pose. Espero que o povo passe é longe dele, principalmente as mulheres que é seu maior publico, aí quero ver como ele “se acha.. se acha”, se ninguém vai aos shows então ele “se lasca, se lasca”.

*Zé da Cruz poeta e liderança comunitária

*** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do GP1

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.