GP1

Brasil

Veja seis dicas para comprar on-line com segurança na Black Friday

Conhecer a reputação da loja e guardar registros das transações são algumas das orientações da Secretaria Nacional do Consumidor.
Por Estadão Conteúdo

Com as recomendações de isolamento social durante a pandemia, a expectativa do varejo é de um aumento nas compras on-line durante a Black Friday deste ano. E para quem já planeja aproveitar as promoções, a dica é redobrar os cuidados para fazer um bom negócio. Conhecer a reputação da loja, guardar os registros de compras e pesquisar se o site tem conexões seguras são fundamentais para não cair em armadilhas, aponta o Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec).

De acordo com a instituição, as demandas nos órgãos de proteção e defesa do consumidor em ‘relação à internet’ mais que dobraram entre janeiro e outubro de 2020 em comparação ao mesmo período do ano passado. As principais reclamações estão relacionadas ao vestuário (calçados, roupas e acessórios) e envolvem atrasos ou não entrega dos produtos.

A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) publica, nas redes sociais e na página do Ministério da Justiça e Segurança Pública, dicas para que os consumidores façam suas compras com segurança. Em caso de problemas é possível fazer reclamações no site consumidor.gov.br.

“Nesse momento, devemos ter mais cuidado com as ofertas e com a exposição dos consumidores dentro dos estabelecimentos que possam colocar em risco a saúde e a segurança, lembrando que esses são princípios basilares do Código de Defesa do Consumidor”, diz a secretária Nacional do Consumidor, Juliana Oliveira Domingues.

Veja as orientações da Secretaria Nacional do Consumidor para comprar com segurança:

-Informe-se sobre a reputação da loja;

-Verifique se o site da empresa possui conexões seguras para proteção dos dados;

-Guarde todos os registros de suas compras;

-Pense e pesquise bem antes de efetuar a compra;

-Fique atento a mensagens e sites fraudulentos;

-Se sair para as compras, use máscara e se proteja.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Black Friday 2020: Procon publica lista de sites não recomendados

Black Friday pode superar recorde de vendas em 2020

Varejo pode ter faturamento de R$ 3 bilhões na Black Friday, aponta CNC

Reclame Aqui lança plataforma para ajudar nas compras durante a Black Friday

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.