GP1

Economia e Negócios

Onda de covid-19 e influenza afeta serviços bancários

Ao menos 20 cidades paulistas e municípios de RS, PR e MS tiveram de fechar agências temporariamente.
Por Estadão Conteúdo

O aumento de casos de covid-19 com a maior circulação da variante Ômicron já afeta os serviços bancários presenciais em cidades do interior de São Paulo, do Rio Grande do Sul e do Paraná.

De acordo com a Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, em ao menos 20 cidades paulistas, entre elas centros importantes como Campinas, São José dos Campos, Sorocaba, Ribeirão Preto e São José do Rio Preto, agências tiveram de suspender o atendimento depois que funcionários testaram positivo para a doença. Na maioria dos casos, o atendimento foi retomado em um ou dois dias, após a sanitização das instalações.

Em cidades menores, moradores já tiveram de se locomover a outros municípios depois do fechamento da agência local. Nesta segunda-feira, Paulo Theófilo, encarregado de uma empresa de avicultura, procurou a agência do Banco do Brasil, a única agência bancária de Pereiras, mas estava fechada. Ele fez contato com a agência de Conchas, cidade vizinha, que também estava com o atendimento suspenso. Por necessitar de serviços bancários urgentes, Theófilo precisou se deslocar para Cesário Lange, um pouco mais distante, onde uma agência do Bradesco também fechou pelo mesmo motivo.

Em Piracicaba (SP), ao menos 35 bancários testaram positivo desde o início de janeiro, segundo o sindicato regional dos bancários. Uma agência do Itaú suspendeu o atendimento durante duas semanas. Unidades do Santander e do Bradesco também fecharam para passar por sanitização. Em Sorocaba, ao menos seis agências bancárias interromperam o atendimento após registros de casos positivos. As gerências informaram que as medidas são preventivas e necessárias para evitar a disseminação do vírus.

Na Baixada Santista, duas agências fecharam na segunda-feira, em Santos e Praia Grande, respectivamente. Conforme o Sindicato dos Bancários de Santos e Região, cada uma delas teve ao menos um caso confirmado da doença e os demais funcionários aguardam o resultado de exames.

Um levantamento do sindicato apontou ao menos 90 casos recentes de covid-19 entre bancários da região. Já segundo a federação, outros sindicatos reportaram fechamento de agências por covid-19 também em Jundiaí, São Carlos, Rio Claro, Andradina, Guaratinguetá, Presidente Venceslau, Capela do Alto, Bofete e São Pedro.

Ainda segundo a federação dos bancários, a maioria dos bancos adota o protocolo de fechar para sanitização das instalações assim que o caso positivo é constatado. A entidade vê os casos em bancos como reflexo do retorno ao trabalho presencial nas agências e ao afrouxamento dos protocolos de segurança contra a covid-19.

Os bancos citados confirmaram a suspensão temporária dos serviços, devido aos protocolos de segurança, e informaram que os clientes são encaminhados para as agências mais próximas. Também recomendaram aos clientes a utilização dos canais digitais.

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) informou que a atividade bancária faz parte do grupo dos serviços considerados essenciais, por isso não pode ser interrompida totalmente.

Região Sul e Mato Grosso do Sul

No Rio Grande do Sul, ao menos 40 agências – a maioria do Banrisul – foram fechadas desde a semana passada, devido aos casos de covid entre funcionários. Dessas, doze ficam em Porto Alegre. Pela mesma razão, o Banrisul fechou agências no estado de Santa Catarina.

Em nota, o banco informou que, quando um caso é detectado em um empregado, estagiário ou prestador de serviço, a agência recebe tratamento especial de limpeza e todos os colaboradores que tiveram contato com aquele que testou positivo nas 48 horas anteriores aos sintomas são encaminhados para testagem.

No Paraná, três agências fecharam em Maringá, depois da confirmação de casos positivos de covid, segundo o sindicato dos bancários da cidade. Em Londrina, duas agências localizadas no centro também fecharam. Cartazes afixados na entrada informam sobre o fechamento temporário. A federação confirmou também o fechamento de agências por covid em Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul.

Outros serviços

Em dezenas de cidades do interior de São Paulo, outros serviços estão sendo afetados pela nova onda de covid-19, amplificada pelos casos de gripe causada pelo vírus influenza H3N2. Em Bofete e Bragança Paulista, decretos municipais obrigam os bares e restaurantes a fechar às 22 horas.

Em Taquarivaí, o comércio em geral só pode atender com 50% da capacidade, percentual que sobe para 60% em Guararapes e para 70% em Birigui. A prefeitura de Queiroz limitou a duas celebrações na semana os cultos em igrejas e templos. Em Artur Nogueira, cinco creches que atendem durante as férias ficarão fechadas por sete dias após 17 pessoas, entre funcionários e alunos, terem testado positivo para covid-19.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.