GP1

Economia e Negócios

Cortes no orçamento chegam a R$ 7,7 milhões em junho, diz UFPI

A UFPI afirmou que novas medidas de austeridade devem ser implementadas para evitar um colapso econômico.

A Universidade Federal do Piauí (UFPI) informou nesta segunda-feira, dia 4, que os cortes no orçamento da instituição chegaram a R$ 7,7 milhões neste mês de junho. Inicialmente, o corte previsto era de 15,5 milhões, mas foi reduzido após interlocução entre o Ministério da Casa Civil e a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino (Andifes).

Por meio de nota, a UFPI destacou que o valor cortado ‘agrava’ a situação econômica da instituição, que retornou com as aulas presenciais agora em junho. A administração superior da universidade afirmou que novas medidas de corte de gastos devem ser implementadas para evitar um colapso econômico da instituição.

Foto: Lucas Dias/GP1Universidade Federal do Piauí
Universidade Federal do Piauí

“Com os cortes, a situação orçamentária da UFPI em 2022 é agravada. Como única saída possível para manter o funcionamento da Instituição, a Administração Superior será obrigada a intensificar a implementação de medidas de austeridade, para conduzir a situação de modo a superá-la positivamente em favor da comunidade universitária como um todo”, diz um trecho da nota.

A universidade também afirmou que os valores cortados no orçamento representam, aproximadamente, 1 mês do custeio de toda a Instituição.

Veja a nota na íntegra

A Administração Superior da Universidade Federal do Piauí vem à comunidade acadêmica informar que a Instituição recebeu, nesse mês de junho, dois cortes definitivos em seu orçamento de quase R$ 7,7 milhões, o que corresponde a 7,2% do valor anual disponível para pagamento de despesas de manutenção da Universidade. Desde 2015, os chamados valores de custeio da UFPI têm sofrido sucessivas reduções, agravando-se com os cortes recentes no orçamento da Instituição de 2022.

Como foi amplamente divulgado pela imprensa e pela comunicação da UFPI, ocorreu inicialmente um bloqueio, ou seja, uma suspensão temporária no orçamento discricionário anual da Instituição para 2022. O bloqueio ocorreu em 27 de maio, no montante de mais de R$ 15,5 milhões, quase 14,5% do orçamento, tendo atingido na mesma proporção todas as IES federais. Depois, fruto da interlocução entre Ministério da Casa Civil e uma representação da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino (Andifes), o bloqueio caiu de 14,5% para 7,2%, permanecendo bloqueados quase R$ 7,7 milhões.

No dia 9 de junho, do total bloqueado até essa data, foi aplicado um corte definitivo no orçamento de quase R$ 3,9 milhões, correspondente a 3,6%, conforme portaria do Ministério da Economia, permanecendo bloqueados mais de R$ 3,8 milhões. Um segundo corte, no mesmo percentual, ocorreu no dia 23 de junho, elevando a soma de valores reduzidos de forma definitiva em quase R$ 7,7 milhões (7,25%).

Os valores suprimidos no orçamento da UFPI representam, aproximadamente, 1 mês do custeio da Instituição, tornando-se mais expressivo com a retomada das atividades presenciais, que demanda maior aporte de recursos para manter o pleno funcionamento.

Com os cortes, a situação orçamentária da UFPI em 2022 é agravada. Como única saída possível para manter o funcionamento da Instituição, a Administração Superior será obrigada a intensificar a implementação de medidas de austeridade, para conduzir a situação de modo a superá-la positivamente em favor da comunidade universitária como um todo.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.