GP1

Eleições 2022

JVC diz a petebistas que deve se filiar ao Podemos e apoiar Moro

O ex-senador João Vicente Claudino reuniu prefeitos, deputados e lideranças do PTB na terça-feira (9).

O ex-senador João Vicente Claudino esteve reunido na terça-feira (9) com membros do PTB e na ocasião destacou seu interesse em deixar a sigla para se filiar no Podemos. JVC ainda informou aos colegas que pretende apoiar o ex-juiz Sérgio Moro à presidência da República em 2022.

Em entrevista nesta quarta-feira (10), o deputado estadual Nerinho destacou que durante a reunião, JVC explicou dificuldades enfrentadas no PTB, que vão desde problemas jurídicos até brigas internas no diretório nacional do partido.

Foto: Alef Leão/GP1Deputado Nerinho
Deputado Nerinho

“Ele comunicou a real situação que se encontrava o PTB nesse momento, a parte jurídica do partido, está tendo várias dificuldades de ter um apoio, uma consolidação a nível nacional, está tendo briga interna a nível nacional e falou da possibilidade de ir para o Podemos. Não é certo, mas ele está analisando, uma vez que ele tem uma amizade muito forte com a presidente do Podemos”, contou Nerinho.

Foto: Lucas Dias/GP1João Vicente Claudino
João Vicente Claudino

Nerinho ainda afirmou que JVC não pressionou os petebistas a acompanha-lo caso ele se filie ao Podemos. “Ele não perguntou nada, não disse ‘se eu for quem vai comigo’, não existiu isso. Ele deixou todo mundo bem à vontade, como é de costume ele sempre fazer isso”, seguiu Nerinho.

O ex-senador disse aos prefeitos e membros do partido que pretende votar no ex-juiz Sérgio Moro à Presidência. “A intenção dele é essa [votar no Sérgio Moro]. Vai ouvir as propostas. Deve conversar. Uma vez continuando com essa intenção, é natural que ele siga na intenção de votar em Sérgio Moro”, finalizou o deputado estadual.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.