Eleições 2020

Assis Carvalho: “não há possibilidade de haver eleições em outubro"

Na avaliação do petista, a data de realização do pleito vai depender do poder de organização do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) diante da duração do isolamento social.

Germana Chaves
Teresina
- atualizado

O deputado federal Assis Carvalho, presidente do PT no Piauí, disse que não há possibilidade de realizar as eleições em outubro diante da desorganização do calendário eleitoral ocasionada em decorrência da pandemia do novo coronavírus (covid-19). Na avaliação do petista, a data de realização do pleito vai depender do poder de organização do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) diante da duração do isolamento social.

“Não há possibilidade de haver eleições em outubro diante da desorganização do calendário por conta do isolamento social. Para outubro, pra mim, está prejudicado. Quanto ao tempo é uma construção entre o TSE e o parlamento. Se novembro, dezembro, início do próximo ano, eu não teria como emitir opinião porque vai depender do tempo de duração do isolamento e da informação do TSE pela sua capacidade de organizar as eleições no prazo que ele vier a estabelecer”, disse Assis, em entrevista ao GP1 nesta quinta-feira (28).

  • Foto: Lucas Dias/GP1Assis CarvalhoAssis Carvalho

O deputado federal disse ainda que a decisão que vier a ser tomada pelo Tribunal Superior Eleitoral, deverá ser aprovada pelo parlamento federal. “Nós aqui do parlamento vamos ter que votar o que o TSE solicitar”, adiantou Carvalho.

TSE

O novo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Luís Roberto Barroso defendeu, na semana passada, que se for necessário adiar as eleições 2020 por causa da pandemia de coronavírus, que elas aconteçam no menor adiamento possível. Ele descartou levar as disputas municipais para 2022.

Barroso disse que as eleições são vitais para a democracia e que estará em articulação com o Congresso Nacional sobre as possíveis mudanças no calendário eleitoral. "Ainda é cedo para termos uma definição se a pandemia vai impor um adiamento da eleição, mas é uma possibilidade", afirmou Barroso.

"Se não tivermos condições de segurança, teremos que considerar o adiamento pelo prazo mínimo. Vamos nos empenhar para evitar qualquer tipo de prorrogação na medida do possível”, completou o presidente do TSE.

NOTÍCIA RELACIONADA

Barroso defende adiamento 'mínimo' das eleições 2020 se necessário