Teresina - PI

DHPP assume investigação sobre tentativa de latrocínio contra PM

A PM chegou a conduzir um homem até o DHPP na tarde de ontem, no entanto, não foi comprovada sua participação na tentativa de latrocínio, tendo em vista que ele não estava na cena do crime.

Brunno Suênio
Teresina

O Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa – DHPP – assumiu as investigações sobre a tentativa de latrocínio do cabo da Polícia Militar do Piauí, Airton de Sousa, que foi baleado na cabeça durante um assalto ocorrido na manhã dessa terça-feira (06) em frente ao Hospital Plastmed, no bairro Jóquei, zona leste de Teresina.

Em entrevista ao GP1, o delegado Genival Vilela, que foi designado pelo delegado geral da Polícia Civil do Piauí para instaurar inquérito sobre o caso, informou que a Polícia Militar chegou a conduzir um homem até o DHPP na tarde de ontem, no entanto, não foi comprovada sua participação na tentativa de latrocínio, tendo em vista que ele não estava na cena do crime.

  • Foto: Reprodução/WhatsAppCâmara flagra momento me que PM é baleado em hospital no bairro JóqueiCâmara flagra momento me que PM é baleado em hospital no bairro Jóquei

“A questão é que ele é monitorado por tornozeleira eletrônica e passou próximo ao local do crime. Ele só passou próximo ao local, consequentemente não é um dos envolvidos. Então foi liberado ontem por falta de elementos cabais que comprovassem que ele é um dos envolvidos. Então como o monitoramento não o acusou exatamente no horário do crime, não tinha como mantê-lo preso”, explicou.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Delegado Genival VilelaDelegado Genival Vilela

O delegado disse ainda que o rapaz foi localizado em sua residência, onde a PM encontrou um capacete com características diferentes das quais a dupla responsável pelo crime utilizava.

“Ele foi pego na própria residência, segundo os policiais informaram ontem. Ele não foi encontrado com arma de fogo, o capacete apreendido não bate com o capacete utilizado pelos indivíduos, não havia nenhum outro elemento além do próprio monitoramento. Eu não descarto que ele possa ter envolvimento, mas o monitoramento não o precisou exatamente na cena do crime. Nós vamos avaliar com cautela e ao longo da investigação dizer, com riqueza de detalhes, se ele tem ou não envolvimento”, pontuou.

Diligências

Genival Vilela ressaltou que os policiais já iniciaram o levantamento de imagens que serão colhidas tanto no local do crime e também na região de onde ocorreu o fato para traçar o deslocamento dos suspeitos, na tentativa de identifica-los.

“Uma das técnicas de investigação é avaliar as imagens, nós vamos fazer isso dentre as várias diligências. A princípio o crime está sendo tratado como tentativa de latrocínio. Eu recebi informações que ontem o policial militar passou por uma cirurgia e eu vou verificar o estado de saúde dele hoje e espero que continue assim, não seja um latrocínio consumado. Por enquanto, não temos condições de ouvi-lo hoje, isso é algo que será feito a posteriori”, finalizou.

Entenda o caso

Um policial militar identificado como cabo Airton Sousa foi baleado, na manhã desta terça-feira (06) na frente do Hospital Plastmed, na Rua Helvídio Ferraz, no bairro Jóquei, zona leste de Teresina. O policial é lotado no Esquadrão Independente de Policiamento Montado, a Cavalaria da PM-PI.

Policiais do 5º Batalhão de Polícia Militar do Piauí foram informados sobre a ocorrência por volta das 6h40 e segundo o subtenente Pessoa, dois assaltantes chegaram em uma motocicleta e um deles abordou o policial, anunciando o assalto.

A vítima reagiu à ação criminosa, tentando disparar contra o bandido que foi mais ágio e o atingiu com tiro na cabeça. Logo em seguida, a dupla deixou o local na motocicleta deixando para trás um par de sandálias no momento em que um bandido caiu ao tentar escapar do policia.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Policial é baleado durante assalto no Hospital Plastmed em Teresina

Câmera flagra momento em que PM é baleado em hospital no bairro Jóquei

Mais conteúdo sobre: