Teresina - PI

Dudu diz que Ciro não seria reeleito sem apoio de Wellington Dias

"Posso afirmar pra ele que se não tivesse o nosso apoio, quem não teria sido eleito era ele Ciro Nogueira", disse o vereador.

Germana Chaves
Teresina
- atualizado

O vereador de Teresina Dudu Borges (PT) não digeriu as declarações do senador Ciro Nogueira Filho (PP) que, durante entrevista à imprensa nesta segunda-feira (10), ‘ameaçou’ romper com o Palácio de Karnak caso, o governador Wellington Dias (PT-PI) interfira em desfavor do Progressistas nas eleições de 2020 em todo o Piauí.

Em resposta, Dudu questionou a gratidão de Ciro e afirmou que se não fossem os apoios de Wellington e do Partido dos Trabalhadores o senador, sequer, teria sido reeleito.

“Eu não quero acreditar que o senador Ciro tenha a índole da ingratidão. Se o senador está fazendo esse tipo de ameaça, ele tem que avaliar muito se ele teria sido eleito sem a gente. Posso afirmar pra ele que se não tivesse o nosso apoio, quem não teria sido eleito era ele Ciro Nogueira. A gente aqui tem um DNA, tem um CNPJ. O senador Ciro Nogueira tem que ter muito cuidado, existe uma coisa que ninguém perdoa, sobretudo, na política, é ingratidão”, disparou o vereador durante entrevista ao GP1 nesta terça-feira (11).

  • Foto: Helio Alef/GP1DuduDudu

Dudu disse ainda que ajudou Ciro no momento em que muitas pessoas tinham vergonha de apoiar o senador do Progressistas. “Ele foi meu senador, fui para rua quando muita gente tinha vergonha de pedir voto pra ele. Quando ele estava sendo acusado a nível nacional em várias frentes, como uma pessoa que organizava coisas erradas nesse país, muitos ligados a ele hoje não foram para rua defendê-lo. Eu o defendi porque entendo que projeto, é projeto e, que ganhamos a eleição de 2018 com propósito de continuar esse Piauí”, finalizou Dudu.

Entenda

Durante entrevista à mídia ontem, Ciro relembrou o impasse que houve na Prefeitura de Picos, quando uma obra de asfaltamento autorizada pelo Governo do Estado, segundo Ciro, teria contribuído para a vitória do Padre Walmir, que disputava a eleição com o progressista Gil Paraibano. O senador também afirmou que a saída de seu grupo político da base do Governo vai trazer um prejuízo enorme para Wellington Dias.

“Haver um rompimento meu com o governador Wellington Dias hoje, seria fatal para o atual Governo, fatal para a administração no momento de muita dificuldade. Não vai ter mais asfaltamento de uma cidade como aconteceu em Picos. [Se ocorrer] me avisem antes que o rompimento é no dia anterior. Isso não vai acontecer”, disparou Ciro.

“Você chega em uma cidade e coloca 70 km de asfalto na véspera da eleição. Você tinha um candidato [Padre Walmir] que estava com 7% na pesquisa e outro com 70% [Gil Paraibano]. Esse tipo de comportamento nós não vamos aceitar. O governador sabe disso”, avisou o senador em outro trecho da entrevista.