Teresina - PI

Edson Melo diz que é natural comparação entre Governo e Prefeitura

"É um comparativo que fazemos questão que aconteça nas próximas eleições municipais”, afirmou o presidente municipal do PSDB.

Andressa Martins
Teresina
Germana Chaves
Teresina
- atualizado

O presidente municipal do PSDB, vereador Edson Melo, respondeu o vídeo do deputado Fábio Novo, pré-candidato do PT à Prefeitura de Teresina em 2020. Edson Melo disse nesta terça-feira (19) que os tucanos fazem questão de fazer comparativos entre a administração do Governo do Estado com a gestão de Firmino Filho (PSDB).

Após críticas à gestão municipal, o prefeito da capital disse que o PT não vai conseguir manter o candidato até o final da disputa e vai ter que “se contentar com um candidato laranja”. Fábio Novo, em um vídeo de resposta, disse que Firmino está com medo da militância petista.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Edson MeloEdson Melo

“Isso [comparações entre administrações] vai ocorrer fatalmente nas eleições do próximo ano, a gente quer e isso é importante para a população conhecer a forma de administrar do PT e a forma de administrar do PSDB. É um comparativo que fazemos questão que aconteça nas próximas eleições municipais”, afirmou.

Novo também criticou a comparação entre o Governo do Estado e a Prefeitura de Teresina e sugeriu que Firmino esteja planejando as eleições de 2022. Edson Melo, no entanto, disse que boa gestão pode ser feita em qualquer lugar. “Não tem esse negócio de ‘tema é estadual, o tema é municipal’ não. Gestão é em todo lugar, tanto faz par ao município quanto para o estado”, continuou.

Nome do PSDB

Fábio Novo sugeriu que Firmino decida logo o nome que sairá candidato a prefeito, mas Edson Melo disse que independente do nome escolhido, o PSDB vai escolher um modelo administrativo.

“Esse negócio de candidato do PSDB não é um nome. Aliás, o PSDB tem muita gente boa para gerir Teresina, gente experiente. Não é nome, é um modelo administrativo que vai ser debatido com a população. Esse negócio de personalizar eleição, isso não interessa a população. A população quer saber o que vai acontecer na cidade nos próximos quatro anos depois da eleição”, finalizou.