Teresina - PI

Falso dentista é preso em flagrante na sede do CRO em Teresina

Em entrevista ao GP1, o procurador jurídico Mariano Lopes, informou que a prisão do acusado aconteceu na própria sede, onde ele apresentou um diploma falso.

Davi Fernandes
Teresina
Débora Dayllin
Teresina
Brunno Suênio
Teresina
- atualizado

Um candidato a ex-vereador de Caxias, identificado como Valman Paulino dos Santos, foi preso na tarde desta quinta-feira (06), após tentar se registrar no Conselho Regional de Odontologia do Piauí (CRO-PI), com um diploma de graduação falso. O acusado já exercia a profissão de dentista durante 23 anos de forma ilegal.

Em entrevista ao GP1, o procurador jurídico do Conselho Regional, Mariano Lopes, informou que a prisão do acusado aconteceu na própria sede, onde ele apresentou um diploma falso.

“Foi um senhor que apareceu no Conselho Regional de Odontologia com um diploma falso para dar entrada no registro e com isso ter a carteira de dentista, então analisamos e identificamos que o diploma era falso, entramos em contato com a investigação da Polícia Civil, entramos em contato com a universidade e foi confirmado que ele não era aluno da instituição”, informou o procurador.

Segundo o coordenador do Grupo de Atendimento Operacional (GAO), Joatan Gonçalves, a investigação dava conta de que a documentação falsa era um diploma de uma faculdade do litoral do Piauí. “A investigação dava conta de que portando documentação falsa mais precisamente portando certificado de uma faculdade do litoral do Piauí, tentava tirar a carteira do CRO, então juntamente com o conselho notificamos essa faculdade, que prontamente respondeu ao conselho através de documento de que essa pessoa não era formada por essa faculdade, até porque o curso dessa faculdade tem apenas dois anos, está ainda no 4º período de um curso que possui 10 períodos”, informou.

Ainda de acordo com Joatan Gonçalves, a investigação iniciou após o acusado deixar uma parte da documentação e ao retornar hoje foi preso e confessou o crime. Ele disse que comprou o diploma por R$ 6 mil. A Polícia Civil suspeita que exista uma quadrilha envolvida.

“A gente reuniu o restante da documentação, já que ele já tinha deixado uma documentação lá para confecção da carteira, e tão logo dois dias depois, ele retornou no conselho para pegar a carteira e nós já estávamos de campana, então realizamos a prisão por documentação falsa. Ele não reagiu à prisão, foi muito solícito. Confessou inclusive que comprou esse certificado por 6 mil reais mas alegou também que não conhece a pessoa, é outro fruto da investigação também, identificar a pessoa, ou as pessoas que forneceram, com certeza é uma quadrilha grande”, ressaltou.

Ainda conforme o procurador Mariano Lopes, o Conselho Regional de Odontologia acionou a Polícia Civil, após a investigação confirmar a documentação falsa e com isso o acusado foi preso em flagrante e encaminhado para a Central de Flagrantes. “E a investigação da Polícia Civil se aprofundou e descobriu que a documentação toda era falsa e aí foi feito o flagrante dele e foi encaminhado para a Central de Flagrantes”, finalizou.