Teresina - PI

Firmino Filho regulamenta transporte por aplicativo em Teresina

O Decreto nº 18.602 foi assinado pelo prefeito Firmino Filho, nesta segunda-feira (20).

Wanessa Gommes
Teresina
- atualizado

O prefeito de Teresina, Firmino Filho, assinou Decreto nº 18.602, nesta segunda-feira (20), que regulamenta a Lei Municipal nº 5.324, de 7 de janeiro de 2019, que “Disciplina o uso do Sistema Viário Urbano Municipal, para a exploração do serviço de transporte remunerado privado individual de passageiros, prestado pelas Operadoras de Tecnologia de Transporte – OTTs”.

Clique aqui e confira o decreto na íntegra

Segundo o decreto, o direito ao uso intensivo de Viário Urbano do Município de Teresina, para a exploração do serviço de transporte remunerado privado individual de passageiros, por intermédio de veículos, somente será conferido a motoristas previamente credenciados nas Operadoras de Tecnologia de Transporte - OTTs, devendo, ainda, todas as informações serem repassadas ao Poder Público Municipal, por meio da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito - STRANS.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Firmino Filho Firmino Filho

Um ponto constante no decreto já havia sido adiantado pelo secretário de Governo da prefeitura, Raimundo Eugênio, o número de veículos credenciados será o correspondente ao número de veículos que já estavam nas respectivas plataformas, na data da publicação da Lei nº 5.324, em 07 de janeiro de 2019.

No entanto, o quantitativo de carros previsto poderá ser majorado após estudo técnico de viabilidade realizado pela Strans, e mediante o recebimento de informações de número de veículos credenciados nas plataformas.

Consta ainda que no número de veículos credenciados não se computarão os taxistas que se cadastrarem perante as OTTs.

O veículo deverá ter capacidade de até 6 ocupantes e ter no máximo 8 anos de fabricação. Ao atingir a idade máxima de fabricação, o motorista terá mais 1 ano de prazo para troca do veículo, que deverá ser licenciado no Município de Teresina.

Os motoristas têm o prazo de 1 ano a contar a partir da data da publicação da Lei nº 5.324/2019 para a adequação.

Supremo Tribunal Federal

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, no último dia 8, por unanimidade, validar aplicativos de transporte individual de passageiros, como Uber, 99 e Cabify. "A proibição ou restrição desproporcional da atividade de transporte por motorista cadastrado em aplicativo é inconstitucional por violação aos princípios da livre iniciativa e livre concorrência", disse o relator, ministro Luís Roberto Barroso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Decreto regulamenta número de veículos por aplicativo em Teresina

STF valida uso de aplicativos de transporte de passageiros no Brasil

Prefeitura de Teresina afirma que “Lei do Uber” é constitucional

Câmara de Teresina aprova a “Lei do Uber” após tumulto