Eleições 2020

Francisco Limma recua e admite avaliar licença da Assembleia Legislativa

“Só farei o pedido de licença sem remuneração, e em último caso, se não conseguir compatibilizar com as atividades da Alepi”, afirmou o deputado.

Wanessa Gommes
Teresina
Germana Chaves
Teresina
- atualizado

Em entrevista ao GP1, na tarde desta quarta-feira (05), o deputado estadual e presidente do PT do Piauí, Francisco Limma, admitiu a possibilidade de se licenciar do mandato na Assembleia Legislativa do Estado do Piauí (Alepi) para comandar o partido nestas eleições. Mais cedo, ele havia descartado essa probabilidade.

Segundo Limma, ele vai se reunir com a diretoria executiva do partido, nessa quinta-feira (06) para avaliar a possibilidade de licença. “Amanhã estarei avaliando essa possibilidade junto com a direção executiva do PT. Estou muito sobrecarregado por conta das demandas de articulações das eleições municipais e que foram interrompidas com o falecimento do deputado Assis”, explicou.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Deputado Francisco LimmaDeputado Francisco Limma

No entanto, Limma reforçou que a licença, que seria a princípio de 120 dias, será solicitada em último caso. “Só farei o pedido de licença sem remuneração, e em último caso, se não conseguir compatibilizar com as atividades da Alepi”, afirmou.

A saída de Francisco Limma abriria espaço para acomodar a suplente da vez, a ex-deputada Liziê Coelho (MDB).

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Francisco Limma descarta licença da Alepi para organizar eleições do PT

Francisco Limma está impedido de deixar Alepi para assumir secretaria

Deputado Francisco Limma é eleito presidente estadual do PT