Brasil

Governo Federal convoca peritos do INSS a retomarem atendimento

A associação discorda dos protocolos adotados pelo INSS e, por isso, é contra o retorno ao trabalho.

Por  Estadão Conteúdo
- atualizado

O governo publicou em edição extra do Diário Oficial da União nesta sexta-feira, 18, um edital de convocação para que os servidores retomem os atendimentos de forma imediata nas unidades listadas na publicação. O edital é assinado pelo secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco Leal, e pelo secretário de Previdência, Narlon Gutierre Nogueira.

Segundo apurou o Estadão/Broadcast, a publicação do edital é uma estratégia para driblar a ofensiva da Associação Nacional de Médicos Peritos (ANMP), que, segundo relatos internos do governo, orientou peritos a não abrir os e-mails por onde os profissionais estavam sendo notificados a retornar a seus postos de trabalho presencial. A publicação em Diário Oficial dá caráter público à convocatória.

Na quinta-feira, 17, o diretor-presidente da ANMP, Luiz Argolo, informou que os peritos não haviam sido convidados para as inspeções nas agências para verificar as medidas de segurança contra a covid-19. A associação discorda dos protocolos adotados pelo INSS e, por isso, é contra o retorno ao trabalho.

O Estadão/Broadcast, porém, teve acesso a comunicações internas que mostram coordenadorias regionais do INSS solicitando a presença dos peritos médicos nessas inspeções. Em uma delas, um perito da Paraíba responde “ciente e já repassada a informação”. O secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco, já avisou que quem for convocado e não comparecer terá o ponto cortado.

O edital vale para 150 agências já liberadas pelo governo e traz como justificativa para a convocatória “o princípio da supremacia do interesse público sobre o particular”. Os órgãos haviam disparado 480 notificações chamando os peritos dessas unidades para o retorno.

Como mostrou a reportagem, o impasse em torno da abertura das agências deflagrou uma guerra entre órgãos de governo e a ANMP, fazendo de vítimas cerca de 1 milhão de brasileiros que aguardam uma perícia médica para receber o benefício.

A crise, que vinha se traduzindo na divergência em torno dos protocolos, ganhou outro patamar depois que a então subsecretária da Perícia Médica Federal Substituta, Vanessa Justino, revogou unilateralmente em 15 de setembro um ofício que ela mesma havia assinado no dia anterior, em conjunto com o presidente do INSS, Leonardo Rolim, estabelecendo as orientações para as inspeções. O ato foi visto como uma quebra de hierarquia dentro do Ministério da Economia.

A cúpula da Subsecretaria foi substituída. Hoje mais cedo, o governo nomeou a nova subsecretária, Filomena Maria Bastos Gomes, servidora da carreira de peritos. Ela tem sido alvo de críticas pela ANMP.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Impasse entre peritos médicos e INSS deixa 1 milhão sem atendimento

Agências do INSS reabrem no Brasil sem peritos médicos

Mais conteúdo sobre: